SP: manifestantes colocam fogo em carro; explosão deixa 3 feridos - 07/10/13
 Um galão de gasolina podeter provocado a explosão
no local Foto: Bruno Santos /Terra -
Quem estará por trás desta manifestação?
Manifestantes bloqueiam rua na região do Morumbi, em São Paulo   O grupo é formado por ex-moradores da Favela Rio, que pegou fogo em 2010 Um carro foi virado e colocado nas chamas  O galão foi lançado nas chamas, segundos antes de uma explosão que assustou a todos no local 
Pelo menos três pessoas ficaram feridas após uma explosão em um protesto no bairro do Morumbi, região nobre de São Paulo, na manhã desta segunda-feira. O incidente ocorreu após um grupo, com aproximadamente 150 manifestantes que pediam moradia, bloquear a rua Doutor Luiz Migliano. Por volta das 7h, os manifestantes colocaram fogo em barricadas na altura da avenida Marechal Juarez Távora e, minutos depois, um automóvel foi atirado junto às chamas.

De acordo com o assistente social Fábio Rodrigues, representante dos moradores, o carro estava abandonado e era de um dos manifestantes. “Nós estamos em três comunidades e não tem como controlar todo mundo. Pelo que ficamos sabendo, esse carro é de um dos manifestantes, que perdeu tudo no incêndio que atingiu a comunidade da Vila Praia em 2010. O carro não tinha gasolina, mas acho que o que provocou a explosão foi o cilindro de GNV”, falou.

Fábio, que também era morador da favela Vila Praia, disse ao Terra que, entre os feridos, dois estavam em situação mais delicada. Eles foram encaminhados pelos próprios moradores ao Hospital Geral do Campo Limpo. Não há informações sobre o estado de saúde da vítimas.
 
 Poucos instantes antes da explosão, o fotógrafo Bruno Santos, do Terra, registrou um manifestante com um galão com gasolina que, mais tarde, foi lançado na barricada incendiada, no mesmo local da explosão.

Enquanto membros do grupo se preparavam para virar uma caçamba de entulho, ocorreu uma explosão no local onde estavam o galão e o carro.

Protesto por moradia
O principal motivo da manifestação, de acordo com Fábio Rodrigues, é a insatisfação do grupo que aguarda o pagamento de parcelas atrasadas do auxílio-aluguel, fornecido pela prefeitura. Moradores que perderam tudo em incêndios nas comunidades Vila Praia, Olaria e da Viela da Paz protestam contra o auxílio de R$ 400 que, segundo eles, estaria defasado.

“O incêndio aqui na Vila Praia ocorreu no dia 1º de junho de 2010. No dia 20 de julho daquele ano a gente fez a primeira manifestação, porque muita gente perdeu tudo. Em agosto, passamos a receber R$ 300  de auxílio e esse valor foi aumentado para R$ 400 em 2011. Queremos que a prefeitura pague as parcelas atrasadas e aumente esse valor, que não é condizente com o mercado atual, principalmente aqui na região do Portal do Morumbi”, disse Rodrigues.

Atualmente morando no Jardim das Palmas, na região do protesto, o morador alega que muitos dos manifestantes precisam continuar na região por causa do emprego e das creches dos filhos.
 
‘Não vamos sair sem uma resposta’
Moradores alegam que foram “abandonados” pela prefeitura, que nunca marcou uma reunião para planejar uma recolocação das famílias prejudicadas pelo incêndio. Em um acordo firmado ainda em 2010, moradores da favela Vila Praia se comprometeram a não reocupar o terreno da comunidade, desde que a prefeitura pagasse o auxílio aluguel.

O grupo promete ocupar a via até que um representante da prefeitura seja enviado para negociar o pagamento das parcelas atrasadas. Viaturas da Polícia Militar foram enviadas para o local, mas não há registros de confrontos.

Comments powered by CComment