Marcha da Família com Deus/SP-1964
O povo clamando pela deposição de
um governo corrupto e aliado aos
comunistas!
Jonas Lezziero

Se o intento dos grupos subversivos que atuaram no Brasil na década de 1960/1970, dos quais a Srª Dilma participou sob os codinomes de Wanda, Stela e Luiza, tivessem logrado êxito, o nosso país teria sucumbido diante do comunismo internacional e a nação teria sofrido um banho de sangue, com a luta fraticida e a morte de muitos irmãos brasileiros. Teríamos sido dominados pela URSS e Fidel Castro estenderia seus domínios, fazendo do nosso país uma grande Cuba, onde muitas vidas teriam sido sacrificadas, como aconteceu na Ilha dos irmãos Castro, onde a ditadura imposta em 1959 perdura ha mais de 54 anos e ao invés do nosso pavilhão nacional veríamos tremulando na Esplanada de Brasília a bandeira vermelha com a foice e o martelo.
Se esta trágica infelicidade tivesse ocorrido, os USA teriam mobilizado seus efetivos militares e ocupariam parte do nosso território, criando um conflito de âmbito internacional e, o território brasileiro poderia ter sido transformado num imenso Vietnã, sobretudo naquela época em que a "Guerra Fria" e as ameaças como a implantação de bases de mísseis soviéticos em Cuba e o avanço comunista na África e no Sudeste da Ásia se configuravam como grandes ameaças a democracia e a liberdade dos povos. Che Guevara agia clandestinamente no interior da Bolívia na tentativa de treinar e adestrar um contingente formado por guerrilheiros nos moldes cubano, para desestabilizar os governos sulamericanos, em especial no Brasil, na Argentina, Uruguai e no Chile.

Não fosse a pronta intervenção das nossas Forças Armadas, em especial do Exército Brasileiro, que teve de se adaptar as novas formas de combate impostas pelos subversivos, ideologizados e fanatizados mediante treinamentos realizados em Cuba, na China e na URSS, estaríamos hoje amargando a morte de milhões de brasileiros e a perda da nossa soberania.
Os nossos militares não enfretaram garotos que frequentavam regularmente as escolas, os bailinhos de sábado e as missas aos domingos, enfrentaram guerrilheiros treinados em Cuba, na URSS e China e que atuavam fortemente armados, tanto na selva no Araguaia quanto nas guerrilhas urbanas e agiam sorrateiramente, na calada da noite, embrenhados nas matas ou sob disfarces dos mais variados quando agiam nos assaltos a bancos, as casas comerciais, unidades militares, empresas públicas e diante dos sequestros perpretados contra autoridades.
Esses jovens foram recrutados nas universidades, nos sindicatos, nas comunidades religiosas e nas portas das fábricas para lutar contra a Ditadura, quando na verdade esses jovens estavam sendo utilizados como massa de manobra, como "bucha de canhão" para morrer por uma causa nada nobre que era a comunização do nosso país. Muitos sucumbiram nessa luta, cerca de 430 entre guerrilheiros do Araguaia e integrantes de facções terroristas que atuavam na área urbana das grandes cidades brasileiras promovendo assaltos, sequetros, roubos a bancos e atentados e 120 foram as vítimas entre os agentes do Estado, pessoas anônimas vítimas de tiroteios, dos assaltos, atentados e sequestros perpetrados pelos grupos armados constituídos por indivíduos que se escondiam sob codinomes e identidades falsas e que se dedicavam única e exclusivamente a prática do terrorísmo, dirigidos pelos líderes comunistas orientados pela URSS e Cuba.
Portanto, se hoje vivemos numa democracia que muito tem a evoluir, devemos isso aos bravos integrantes das nossas Forças Armadas e dos órgãos de segurança pública, que não pouparam esforços e arriscaram suas vidas e se sacrificaram em pról da unidade nacional e contra a intervenção estrangeira mediante a doutrinação e o fanatísmo de alguns maus brasileiros, que não obstante os crimes cometidos por  estas ilustres figuras ora  aquinhoadas pelo governo federal com polpudas indenizações pagas com dinheiro público, com o nosso dinheiro. Vou aqui parafrasear Winston Churchil, o grande líder britânico na 2ª Guerra Mundial, quando este em seu pronunciamento na BBC homenageou os pilotos da RAF que lutaram bravamente na defesa da Grã-Bretanha contra as incursões da Luftwaffe:
"Nunca tantos deveram tanto a tão poucos"
 
BRASIL ACIMA DE TUDO 
 
Comentários   
#3 domenico 16-05-2013 23:17
Congratulo, com emoção e orgulho, as FFAA de outrora!... Bravos Comandantes e tropa que, realmente, amavam e respeitavam a Pátria. Hoje,infelizmen te, esses sentimentos, estão decaídos e desvalorizados, começando pelos Comandos !...
#2 Ferreira Pena 16-05-2013 21:44
É verdade, mas sinto dizer que o Coronel Brilhante Ustra está só, completamente só contra a canalha que o quer desmoralizar e incriminar. Servi no Exército em 63, e me orgulho daqueles tempos terríveis, das prontidões intermináveis. Onde está o Exército que permite essa canalhice contra um coronel já avançado na idade?
#1 paulo 16-05-2013 20:34
estamos precisando novamente das FFA
obs: U R G E N T E
Adicionar comentário