29/03/13 – Roberto Maciel -
Folheio o jornal à vespera dos 49 anos da Revolução de 64 - um fato indelével e presente todo o tempo na mídia - e leio apenas o extrato de uma já modesta nota dos Clubes Militares. Mas leio num box de primeira página, Dilma, a Dama da Vingança, a exigir resultados à sua Comissão da Verdade. Os membros da comissão se viram como podem para estar na mídia, mas não apresentam quase nada porque muito pouco há a apresentar, além de conjecturas, especulações ou, simplemente, acusações fantasiosas. 

 "Quero histórias pungentes, que calem o coração da população", diz a dama. Todas já foram contadas sem que se pudesse oferecer contestação e ainda assim, somos pobres em torturadores e torturados. Muita inveja de argentinos e chilenos, que torturaram multidões e mataram dezenas de milhares, deve ter a presidente; de Cuba então... Já se disse que tirar uma vida ou matar uma centena, é o mesmo e hediondo crime. Querem levar militares à CV? Levem uma pobre senhora, viúva de um sargento da Aeronáutica, assassinado por Theodomiro (um dos protegidos pelo padre Renzo, manchete de ontem) pelas costas, covardemente. Que tal dar-lhe compensações pela perda do amado marido e pai, depois de ouví-la contar as penas que penou para criar os filhos? Levem os pais de Mário Kosel Filho, menino 18 anos que servia ao Exército, feito em pedaços por um caminhão-bomba, em S. Paulo. Dizem que os autores do atentado estão por aí, em altos postos da República. São histórias que vão emocionar a população, certamente. O que querem os velhos e pré-históricos comunistas é continuar sonhando o seu sonho juvenil, mas para isto precisam destruir o último bastião, as Forças Armadas, que tudo mais já foi conquistadop ou neutralizado. Perguntem-se, pessoas esclarecidas, mídia silente ou obediente, para onde estão levando o Brasil e quem vai detê-los. Quem?

 

 

 

Comments powered by CComment