Este é um caso que a CNV precisava in-
vestigar a fundo. São várias as versões.
Leiano final da matéria o que pesquisa-
mos  sobre o seu assassinato.
O caso de Rosalindo de Souza, o Mundico, guerrilheiro morto no Araguaia é extremamente emblemático.  
1) O Relatório Arroyo - de um dos comandantes máximos, Ângelo Arroyo - apresentado ao Comitê Central do PC do B em 1974, no qual faz um balanço da experiência guerrilheira no Araguaia e as perspectivas da guerra popular prolongada no Brasil, afirma que: 

"Dois acontecimentos negativos ocorreram também em setembro: a morte de Mundico, do C, por acidente com a arma que portava; e a fuga de Paulo, do A. Este elemento, desde o início da luta, se mostrara vacilante e criava toda sorte de problemas. Aproveitou a saída dos elementos do A que foram realizar o ato contra o posto policial e desapareceu.
Mostrou-se indigno de participar da guerrilha."
O documento está disponível no link abaixo da Fundação Maurício Grabois do PC do B ( http://www.grabois.org.br/portal/cdm/noticia.php?id_sessao=49&id_noticia=873 )
 2) O Diário de Maurício Grabois, outro dos principais dirigentes maoístas no Araguaia (e morto lá), também comenta sobre sua morte:
 
 
"1/9 – Terminou o mês de agosto, que registrou alguns êxitos para a guerrilha e assinalou um acontecimento bastante triste para nós: a morte de Mundico. Esse combatente do DC, no dia 16, apareceu morto, talvez vitimado por acidente com seu revólver"
 
O documento está disponível na revista esquerdista Carta Capital ( http://www.cartacapital.com.br/wp-content/uploads/2011/04/Di%C3%A1rio_de_Maur%C3%ADcio_Grabois.pdf ), na página 132 do PDF.
 
3)  O mateiro Sinézio Martins, um dos guias das forças legais, informa em depoimento ao Grupo de Trabalho do Ministério Público Federal:
 
"que João do Buraco (um aliado dos guerrilheiros), ao ser preso pelo Exército, mostrou a sepultura; que o Exército não havia travado combates neste
local; que por isso o Exército disse que foram os guerrilheiros que mataram o Mundico";

O documento está disponível no próprio sítio Ministério Público Federal de São Paulo: http://www.prsp.mpf.gov.br/prdc/area-de-atuacao/torviolpolsist/Relatorio%20parcial%20de%20investigacao%20sobre%20a%20Guerrilha%20do%20A%20-1.pdf , na página 22.
 
4) Temos um livro do jornalista e historiador esquerdista Hugo Stuardt, chamado "A Lei da Selva" (Geração Editorial, 2006, é uma editora de esquerda que publicou livros de Celso Lungaretti e outros), que comenta sobre o fato. Este jornalista foi um dos inquisitores na entrevista do Roda Viva com Cabo Anselmo. Se encontra vários links na internet em que ele dá esta versão.
 
Observação do site
www.averdadesufocada.com

“Justiçamento” de Rosalindo de Souza , “Mundico” - 16/08/1973

Retirado do livro A Verdade Sufocada - A História que a esquerda não quer que o Brasil conheça - Carlos Alberto Brilhante Ustra

Mundico, militante do PCdoB, participou ativamente do movimento estudantil. Formou-se advogado na Faculdade Cândido Mendes. Em abril de 1971, foi para Caianos participar da Guerrilha do Araguaia, como comandante do Destacamento C.
Morreu em setembro de 1973 e, para sua morte, seus companheiros têm versões diferentes.

1 - Para o Relatório Arroyo: “... a morte de “Mundico”, do C, por acidente, com a arma que portava”.

2 - Para Elza Monerat, em depoimento no Congresso: “Parece que sua morte não teria sido acidental. Teria sido assassinado por um “bate-pau”.

3 - Existe uma terceira versão entre os companheiros do PCdoB de que teria se suicidado.

4 - José Antônio de Souza, irmão de “Mundico”, auditor fiscal em Ilhéus, declara:
Acho muito estranho falar em acidente de armas com Rosalindo, pois todo mundo sabe que ele tinha muita experiência como caçador e era exímio atirador.”

5 - Nos arquivos do DOPS/SP consta que ele foi justiçado pelos companheiros em 16 de agosto de 1973.
(Fonte: http://www.desaparecidospoliticos.org.br/araguaia).
 

Comments powered by CComment