Imprimir
Categoria: Forças Armadas
Acessos: 3140
Caros amigos
PChagas
Denúncia de corrupção na gestão do Exército, não é a primeira nem será a última vez que ocorre, afinal, a gestão é feita por humanos e estes falham.
No entanto, como sempre, o fato será apurado com a presteza, o rigor e a precısão que sua gravidade exige e os culpados, se houver, serão punidos  dentro da norma do processo e de acordo com as penas estabelecidas na lei.
É assim que sempre foi e assim que será mais esta vez!
Neste novo "affaire escandaloso" da administração pública, a atitude e a ordem para "apuração urgente", ınócua em se tratando de militares, tem sido adjetivada como "dois pesos e duas medidas", quando, na realıdade, o que ocorre é a prática do "aos amigos tudo, aos indiferentes o regulamento, aos inimigos a calúnia, sempre que possívell".
Neste caso, por enquanto, apenas o regulamento, mais tarde, quando ınteressar, virá a calúnia! É o modus operandi dos corruPTos, basta observar a CNV, a fatídica criadora de factóides, mentiras e falsos heróis!
Aos militares, a Presidente, envergando o capacete de Comandante Suprema, ordena, em curto prazo, averiguar e punir, como se, alguma vez, algum erro, particularmente nas contas, finanças e processos, tivesse sido escamoteado do rigor da lei para beneficiar algum apaniguado, como soe acontecer no ambiente em que se locupletam os seus "amigos", para os quais "tudo" é válido!
Quando foi que a Sra Rousseff determinou ou, sugeriu a apuração rápida e rigorosa do escândalo dos seus amigos mensaleiros? E as denúncias contra o Sr Lula da Silva, quando merecerão o interesse da "companheira" Dilma?
Façamos votos para que esta ânsia justiceira que se apossa da Presidente não seja mais um ato falho da "simpatia" que nutre pelos militares, mas o primeiro ato de um novo programa, o PACC - Programa de Aceleração do Combate á Corrupção!