Monumento aos mortos da Intentona Comunista 
Dia 27 Nov - 08:00 horas  - Praia Vermelha  Rio RJ
Solenidade em Homenagem às Vítimas da Intentona Comunista de 1935
O dia 27 de novembro é um dia de luto. O dia  27 de novenbro de 1935, dia da Intentona Comunista,  deverá ser sempre lembrado, pois covardes comunistas assassinaram militares que dormiam e tentaram criar uma revolução para implantar no nosso país um  regime Marxista-leninista , que foi debelada por um grupo de HERÓIS DA PÁTRIA  que jamais poderão ser esquecidos, por aqueles que amam a liberdade e a democracia.
A  eles a nossa homenagem!
  

 Ouça no link abaixo o Toque de Silencio
http://youtu.be/x97J8ju2hBI
A todos que morreram pelas armas dos comu- 
nistas, em defesa da liberdade e da democracia
 no Brasil, a nossa homenagem
http://youtu.be/0xOosy2xYqc

 01. Abdiel Ribeiro dos Santos - 3º Sargento
02. Alberto Bernardino de Aragão - 2º Cabo
03. Armando de Souza Mello - Major
04. Benedicto Lopes Bragança - Capitão
05. Clodoaldo Ursulano - 2º Cabo
06. Coriolano Ferreira Santiago - 3º Sargento
07. Danilo Paladini - Capitão
08. Fidelis Batista de Aguiar - 2º Cabo
09. Francisco Alves da Rocha - 2º Cabo
10. Geraldo de Oliveira - Capitão
11. Jaime Pantaleão de Moraes - 2º Sgt
12. João de Deus Araújo - Soldado
13. João Ribeiro Pinheiro - Major
14. José Bernardo Rosa - 2º Sargento
15. José Hermito de Sá - 2º Cabo
16. José Mário Cavalcanti - Soldado
17. José Menezes Filho - Soldado
18. José Sampaio Xavier - 1º Tenente
19. Lino Vitor dos Santos - Soldado
20. Luiz Augusto Pereira - 1º Cabo
21. Luiz Gonzaga - Soldado
22. Manoel Biré de Agrella - 2º Cabo
23. Misael Mendonça -T.Coronel
24. Orlando Henrique - Soldado
25. Pedro Maria Netto - 2º Cabo
26. Péricles Leal Bezerra - Soldado
27. Walter de Souza e Silva - Soldado
28. Wilson França - Soldado

 

 

A INTENTONA
Silvio Luzardo
No teu corpo o espanto
Na tua face o sigilo
Na tua farda o exemplo
na tua vida prostada o manto
de quem aprendeu a guardar
a tua Pátria, Soldado. 
Na tua fé a concórdia
No teu sangue o grito
Na tua espada a cruz
No teu fuzil o silêncio
de quem morreu traído
pela sombra traiçoeira, Soldado. 
Na tua guarda perene
No teu quarto de céu
Na tua vigília constante
No teu braço inerte
estende a lição eminente
do alerta, Soldado. 
No teu túmulo o pranto
No teu nome a memória
Na tua história o crime
No teu serviço o golpe
assaltando teus sonhos
e rompendo tua vida, Soldado. 
Na tua canção o rito
No teu cair o aviso
Na tua morte o espasmo
No teu partir redivivo
ficou a noção do perigo
que ronda teu filho, Soldado. 
Na tua memória o lacre
No teu espanto o limite
Na tua terra a baliza
No teu sentido a continência
dos que guardaram a estrada
para que não fosse em vão,
Soldado.
Na tua jornada o ideal
No teu capacete a lide
Na tua mochila o teu chão
No teu coração a Bandeira
que tremula eternamente
ao teu compasso, Soldado. 
Na tua face a ferida
No teu peito o punhal
Na tua alma o sentimento
Na tua morte o triste momento
de quem traiu a Pátria
para vestir a Internacional,
Soldado.Em tua memória, nossa guarda

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar