'Inaceitável', diz filho de Herzog sobre resposta do governo à OEA
Itamaraty invocou a Lei da Anistia para dizer que era impossível reabrir o caso do jornalista Vladmir Herzog
  Roldão Arruda - O Estado de S. Paulo -  22/06/2012
SÃO PAULO - O engenheiro Ivo Herzog disse nesta quinta-feira, 21, em São Paulo, que considera "inaceitável" e "afrontosa" a resposta enviada pelo governo brasileiro à Comissão de Interamericana de Direitos Humanos, da OEA, no caso da denúncia que envolve a morte de seu pai, jornalista Vladimir Herzog. Ele morreu nas dependências do Exército, em São Paulo em 1975, após ter se apresentado para prestar esclarecimentos sobre suas atividades políticas. De acordo com a versão oficial, ele cometeu suicídio. Segundo familiares, amigos e organizações de direitos humanos, foi torturado e executado.

 

Comments powered by CComment