Porto Alegre, 13 de abril de 2012                                            
Gen Bda Ref Carlos Augusto Fernandes dos Santos
                                          Prezados  Irmãos de Armas
Hoje, participamos , no CPOR de Porto Alegre, das comemorações do dia da ENGENHARIA .  O encontro foi abrilhantado por  uma palestra proferida pelo General-de-Exército JOAQUIM SILVA e  LUNA, Chefe do Estado-Maior do Exército.
Sua excelência ,   entre outros assuntos,  salientou aspectos  que nos  são muito caros :  valores  da área afetiva ,   pertencentes ao terreno axiológico,   que desde jovens aprendemos a exercitar em nossas  escolas  e que, com orgulho , ostentamos e praticamos  ao longo de nossas vidas profissionais.
Saímos da palestra do General SILVA e LUNA com a certeza de que nossos atuais chefes estão atentos e  empenhados em manter e consolidar esses importantes valores, que contribuem para aumentar nossa indispensável  COESÃO e PRESTÍGIO   , em uma conjuntura nacional complexa  e por vezes desfavorável.
No dia 19 de abril que se aproxima,  comemoramos o dia no nosso  EXÉRCITO.
Para  todos  os soldados  integrantes  de nossa instituição, da ativa e da reserva , retransmito  um artigo que escrevi em 2008. Foi uma forma  que encontrei de homenagear velhos camaradas, oficiais e praças, que com seu trabalho anônimo, mantiveram e mantém vivo o nobre ideal acalentado por nossos antepassados:
   SERVIR À PATRIA 
             Texto completo
A Cota de Malha do Exército Brasileiro 
  “ Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...”
                                                                        Antoine de Saint -Exúpery    
Aparato dos exércitos medievais, a Cota de Malha era  utilizada para proteger os antigos guerreiros ;  uma rede metálica flexível composta por  uma série de 
  
                      Cota de malha 
  Eles que venham por aqui não passarão !!!
pequenas argolas entrelaçadas ,  feitas de ferro polido ou de uma liga  de metal  resistente . Juntas,  as pequenas peças forneciam resistência contra objetos cortantes e, unidas às armaduras,  formavam vestimentas de combate usadas pelos  antigos soldados.
Ao longo de sua fulgurante  trajetória , com participação expressiva na história e nos  eventos marcantes da formação da nacionalidade brasileira, o exército nacional agiu sempre em consonância com as aspirações de sua gente. Na longa caminhada ,  seus integrantes foram acumulando experiências e adquirindo virtudes , hauridas dos exemplos dos chefes e dos  camaradas de armas , muitos deles heróis cultuados hoje no  sublime  panteão da pátria.
A prática e o permanente exercício das mais nobres virtudes do cidadão , enrijeceu-lhes o caráter. O farol que os iluminava sempre foi o interesse nacional , acima de qualquer outro menos importante , e o  rumo seguido apontava para um porvir grandioso emoldurado pela decência, a ética, o despojamento e a entrega. No caminho percorrido,  esses soldados encontraram inúmeros obstáculos. Não esmoreceram ; perseveraram na busca do ideal acalentado: transmitir às novas gerações  uma nação livre e  soberana e uma instituição respeitada por seus conterrâneos.
O compromisso dos que passaram, dos que o compõem hoje  e , com certeza, dos que virão  futuramente é o mesmo : indeformável , uno e indivisível. Semelhante ao bom concreto cuja resistência aumenta  com o passar dos tempos.
Não importam as circunstâncias e as   insidiosas e recorrentes campanhas difamatórias, com o objetivo de  indispô-los com a nação brasileira.
A Cota de Malha do Exército de Caxias, o escudo que o  protege, teve início em Guararapes, num notável caldeamento de  raças e de vontades   para expulsar o invasor,  e continuou na sublime saga ao longo dos tempos: nas lutas pela independência; na manutenção da unidade conquistada durante o império; na abolição da escravatura; nos ideais republicanos e no combate consciente e patriótico contra ideologias estranhas . Ela foi construída e  tecida cuidadosamente com carinho e esmero,   pelos  exemplos dignificantes do mérito e do trabalho anônimo. Enfim,  pela firme decisão de SERVIR à pátria e à sua gente.
 Diferente dos tempos remotos onde era possível enxergá-la imediatamente , a véstia  atual , tecida pacientemente pelos exemplos e as virtudes referidas , continua a  proteger os soldados de hoje . Parece invisível aos olhos desatentos , mas tem uma consistência maior do que a anterior, pois suas peças são indeformáveis - um triângulo virtuoso - constituídas de três tentos igualmente importantes e resistentes: a hierarquia; a disciplina e a camaradagem.
Nosso dever, pois,  dos soldados de hoje, dos que passaram e dos que virão,  é o de não permitir que essa consistência - a estrutura moral, afetiva e a capacidade  operacional herdada dos nossos antepassados -  seja vilipendiada.
Viva o Exército Brasileiro!
                     Gen Bda Ref Carlos Augusto Fernandes dos Santos

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar