Imprimir
Categoria: Corrupção
Acessos: 4779

 
 Companheiros de luta armada e de
 campanha política
Pela editoria do site www.averdadesufocada.com
Agora  as denúncias balançam o ministro Fernando Pimentel.
Dilma não pode , nem que seja em pensamento, alegar que é uma "herança maldita ". Fernando Pimentel foi trazido para os meandros do Planalto por ela, ainda quando era candidata. Veio de Belo Horizonte, onde foi prefeito, para ser o braço direito de Dilma em sua campanha para Presidente.
São mais que companheiros de partido, são amigos desde o tempo de "militância estudantil", como apregoa a mídia, omitindo a parte da militância armada. São camaradas de armas, como disse José Dirceu, referindo-se à Dilma, ao passar -lhe o cargo de Chefe da Casa Civil .


Texto completo

Foi trazido para o governo, após sofrer uma derrota na disputa ao Senado.
Colecionou uma série de atritos com o PT. Trapalhadas e mais trapalhadas:
- fez uma aliança com o governador Aécio Neves (PSDB-MG) em torno da candidatura de Marcio Lacerda (PSB) à prefeitura de Belo Horizonte;
- envolveu-se na elaboração de um suposto dossiê contra tucanos ligados ao concorrente de Dilma à Presidência, José Serra;
- e outras pequenos atritos.
Mas, mesmo assim, como companheiro, neste governo, não fica sem uma "boquinha ", ganhou da presidente o Cargo de Ministro do Desenvolvimento Industrial.
Dilma Rousseff está preocupada. O sétimo ministro derrubado por denúncias na imprensa, será inconcebível. Ainda mais um companheiro de tantos anos, escolhido por ela...
Por isso, rapidamente determinou que o companheiro de armas preste explicações, para atenuar as denúncias. E, tem mesmo que ficar preocupada, afinal essa história de dinheiro ganho por meio de assessoria já derrubou o ministro Palocci.

Leia mais sobre Fernando Pimentel aqui