Imprimir
Categoria: Corrupção
Acessos: 2458
  'Nada justifica manutenção' 
Márcio Allemand, Bruno Góes e André de Souza
O Globo - 02/12/2011 
Movimentos anticorrupção criticam postura da presidente
Representantes de organizações anticorrupção criticaram a demora da presidente Dilma Rousseff para demitir Carlos Lupi, ministro do Trabalho. Após a Comissão de Ética da Presidência recomendar sua exoneração, Dilma pediu mais informações sobre os motivos do pedido para demiti-lo. A empresária Cristine Maza, uma das organizadoras do movimento Todos Juntos Contra a Corrupção, disse que a faxina atribuída à presidente é uma farsa e o fato de ela não cumprir a decisão da comissão, uma vergonha:
- O que começou de um jeito está terminando de outro. Se até a Comissão de Ética já recomendou a demissão do Lupi, por que ela precisa esperar até janeiro? - questiona.
Cristine diz estar desconfiada que o ministro do Trabalho tem alguma carta na manga e que por isso ainda não foi demitido do cargo.
- Nada justifica que ele continue no Ministério do Trabalho. Ele deveria ter sido demitido logo após cair em contradição. Fico até com medo de qual vai ser a próxima bomba ou escândalo envolvendo ministros.
Marcelo Medeiros, representante do movimento 31 de julho - um dos que apoiaram a realização de atos contra a corrupção na Cinelândia - diz que a presidente perdeu o momento ao não demitir Lupi.
- Ela deveria ter demitido quando a Comissão de Ética pediu. Agora ela está em uma saia-justa. Se não demitir, desmoraliza completamente a Comissão de Ética, que agiu corretamente. Se ela resolve demiti-lo, também vai ser pressionada por ter tomado uma decisão tardia - disse.
Marcelo também criticou as atitudes e declarações de Lupi - para ele, uma "pessoa que não está à altura do cargo".
O economista e estudante de ciência política Leonardo Oliveira também criticou o comportamento do ministro Carlos Lupi de resistir ao cargo. Oliveira faz parte do projeto "Adote um distrital", que propõe fiscalizar os atos da Câmara Legislativa do DF.
- O PDT deveria pedir sua demissão, e ele próprio (Lupi), também - afirma Oliveira, que critica ainda a prática da "porteira fechada" nos ministérios:
- Eu fico mais indignado é com um ministério ser de um partido, porque não é só o Lupi que teve o nome envolvido em denúncias. É um barco, e Lupi é o capitão.
                                     XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
Só vejo uma opção para ela: demite ou demite' 
Silvia Amorim
O Globo - 02/12/2011 

Para especialistas em ética, presidente está numa situação constrangedora e não pode demorar para tomar atitude
SÃO PAULO. Sob o risco de ter abalada a popularidade que conquistou no início de governo, a presidente Dilma Rousseff não tem outra alternativa a não ser seguir a recomendação da Comissão de Ética Pública da Presidência da República e demitir o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Essa é a opinião de estudiosos em ética pública ouvidos ontem pelo GLOBO. Eles avaliaram que a decisão da Comissão colocou Dilma numa situação constrangedora.
- A imagem que a Dilma tem na sociedade é de que é mais rigorosa do que foi o Lula. Mas, especificamente no caso do Lupi, ela está demorando para tomar atitude. A situação está se complicando, e eu só vejo uma opção para Dilma: demite ou demite - avaliou a professora de Administração da PUC-SP e autora do livro "Responsabilidade Social e Ética", Elisabete Adami Pereira dos Santos.
- Do ponto de vista da ética pública, a retidão tem que ser levada a sério. Mas esse caso, assim como muitos outros, serve para mostrar como a ética no Brasil é muito flexível. Depois da postura e das declarações dele (Lupi), totalmente inadequadas para um ocupante de cargo público, já nem era para estar no governo. Foram desculpas esfarrapadas e cínicas. Ele zombou do cidadão - disse a professora.
O professor de Ciência Política da Escola de Administração da Fundação Getulio Vargas (FGV) Claudio Couto diz que o pronunciamento da Comissão de Ética cria um constrangimento novo para Dilma:
- Manter alguém com restrições éticas é sempre muito custoso. A situação do Lupi foi ficando muito complicada, principalmente após as notícias de que acumulou cargos ilegalmente na Câmara dos Deputados e na Câmara de Vereadores no Rio. Acho que ela (Dilma) vai ter que rever a posição de só trocar o Lupi na reforma ministerial.
O jornal "Folha de S.Paulo" noticiou ontem que Lupi ocupou simultaneamente, entre 2000 e 2005, cargos de assessor na Câmara dos Deputados e na de Vereadores do Rio de Janeiro. Para a professora e pesquisadora do Grupo Ética e Filosofia Política da PUC-SP Salma Tannus Muchail, sustentar o ministro no cargo para não tornar as coisas mais difíceis na reforma ministerial é "falta de pudor":
- A presidente Dilma tem todo o aval da sociedade para tomar decisões como essa (proposta pela Comissão) agora. Seria falta de pudor adiar isso para 2012. Se errou, tem que sair.
Para especialista, Dilma já não tem escolha
Um dos motivos apontados para a demora de Dilma em tomar uma decisão no caso de Lupi é que a presidente gostaria de tirar o Ministério do Trabalho do comando do PDT, dando à sigla outro espaço no governo. E isso seria mais conveniente e fácil de ser feito no bojo da reforma ministerial.
Salma considera que Dilma não tem escolha, caso queira manter a imagem que conquistou, a de que é pouco tolerante com casos de corrupção no governo.
- Agora com a recomendação da Comissão de Ética, não me passa pela cabeça que ela não vai demiti-lo. Não tem como