Mausoléu das vítimas da Intentona Comunista
Praia Vermelha - Rio de Janeiro
Pela editoria do site www.averdadesufocada.com
 - 27/11/2011
Antecipada para sexta -feira, 25/11/2011, as Forças Armadas , com a presença do Comandante do Exército  General Enzo Martins Peri foi realizada a cerimônia de homenagem às vítimas da intentona Comunista de 1935. 
Prestigiaram esta cerimônia antigos e atuais membros do Almirantado, dos Alto-Comando do Exército e da Aeronáutica, Oficiais-Generais das Forças Armadas da Ativa e da Reserva, autoridades eclesiásticas, autoridades federais, estaduais e municipais, senhoras e senhores convidados.
Um significativo número de pessoas veio homenagear as vítimas da primeira tentativa de tomada do poder pelos comunistas.
Após os toques regulamentares foram prestadas as honras militares ao Comandante do Exército com exórdio* executado pela  Banda  do I Batalhão de Guardas, Batalhão do Imperador 
* Para quem não conhece o exórdio e a salva de tiros, a título de exemplo, veja no link
http://youtu.be/igEI96tQpCAo  a homenagem prestada na chegada do Comandante do Exército à Academia Militar. 
O narrador, Cel Robson  inicia a cerimônia: - "A presente cerimônia tem por finalidade reverenciar a memória dos militares mortos na
  
   General Enzo deposita uma coroa de flores 
intentona comunista em 27 de novembro de 1935."
Juntos, autoridades, convidados e a tropa   cantaram o Hino Nacional Brasileiro.
Em seguida,  o narrador prosseguiu  em sua explicação:
"A intentona comunista foi uma rebelião contra o Governo da República, liderada pela Aliança Nacional Libertadora (ANL) e tinha por objetivos derrubar o governo e tomar o poder.
O movimento ganhou adeptos dentro de Unidades do Exército, onde militares cooptados e influenciados por ideias revolucionárias, iniciaram uma rebelião no interior de algumas organizações militares do Exército.
Deflagrado na noite de 23 de novembro de 1935, em Natal, no Rio Grande do Norte, aonde, os amotinados chegaram a tomar o poder estadual durante três dias, estendeu-se para o Recife em 25 de novembro e, por último, para o Rio de Janeiro, então sede do Governo Federal, no dia 27. Em todos esses locais as lideranças do movimento esperavam obter o apoio popular que não se concretizou.
No Rio de Janeiro, as proporções do movimento foram mais amplas e cruéis, tendo sido deflagrados motins, simultâneos, no 3º Regimento de Infantaria, na Praia Vermelha; no 2º Regimento de Infantaria e no Batalhão de Comunicações, na Vila Militar; e na Escola de Aviação, no Campo dos Afonsos. Nos quartéis em prontidão, os amotinados, na madrugada do dia 27, feriram e mataram seus companheiros de véspera enquanto dormiam.
Assim como no Recife, a mobilização no Rio de Janeiro foi rapidamente sufocada, o que não evitou que ocorressem mortes nos confrontos entre amotinados e forças legalistas. No ataque ao 3º Regimento de Infantaria, cujo aquartelamento, à época, emoldurava a Praia Vermelha, localizando-se entre as atuais instalações do Circulo Militar e da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), morreram 28 militares.
Os restos mortais desses mártires repousam no mausoléu construído à nossa frente, nesta histórica Praça General Tibúrcio, e um encontra-se na cidade de Belo Horizonte.
Assim, hoje, formamos perfilados para solenemente, reverenciar a memória desses heróis que, 76 anos atrás, tombaram no triste e sangrento episódio da intentona comunista. Militares que levaram ao extremo o juramento firmado ao ingressarem nas fileiras do Exército, de defender a Pátria, mesmo com o sacrifício da própria vida.
Este ato, repetido anualmente, mantém viva em nossa memória a lembrança dos horrores da traição praticada nos quartéis em 35, alertando aos militares de hoje e de amanhã, sobre os perigos que podem advir da presença de ideologias políticas no interior das Unidades e renovando o permanente compromisso das Forças Armadas com a defesa da Pátria e dos ideais democráticos da Nação Brasileira."!

Após esta alocução o Comandante do Exército, General Enzo, acompanhado por familiares dos mortos, o General de Exército Ivan de Mendonça Bastos e a Senhora Irma Paladini da Silveira, fizeram aposição de uma coroa de flores junto ao Mausoléu guarnecido por militares trajando uniformes históricos do 1º Batalhão de Guardas, Batalhão do Imperador, onde estão guardados aqueles que deram suas vidas em prol dos ideais democráticos em 1935.
 Na sequência, foi executado o toque de silêncio http://youtu.be/S1mqSzU8Ing em memória aos nossos companheiros e ao mesmo tempo uma Bateria do 31º GAC (Escola) executou uma salva  de 15 tiros.
E prosseguiu o narrador: - Em homenagem aos heróis que de maneira tão dignificante contribuíram para a manutenção dos elevados anseios de liberdade e de democracia do povo brasileiro, será procedida a chamada nominal dos que tembaram em 1935."
Emocionante! Ao ser lembrado o nome de cada uma das vítimas abaixo, ouvia-se alto e emocionado um oníssono  PRESENTE!
Ten Cel MISAEL DE MENDONÇA
Majores: ARMANDO DE SOUZA MELLO e
JOÃO RIBEIRO PINHEIRO
Capitães: GERALDO DE OLIVEIRA
DANILO PALADINI e
BENEDITO LOPES BRAGANÇA
1º Tenente JOSÉ SAMPAIO XAVIER
2º Tenente LAUDO LEÃO DE SANTA ROSA
Segundos Sargentos: JOSÉ BERNARDO ROSA e
JAIME PANTALEÃO DE MORAIS
Terceiros Sargentos: CORIOLANO FERREIRA SANTIAGO
ABDIEL RIBEIRO DOS SANTOS e
GREGÓRIO SOARES
Primeiros Cabos: LUIZ AUGUSTO PEREIRA e
ANTONIO CARLOS BOTELHO
Segundos Cabos: ALBERTO BERNARDINO DE ARAGÃO
PEDRO MARIA NETTO
FIDÉLIS BATISTA DE AGUIAR
 
                  Nossa homenagem às Vítimas da Intentona
                  Comunista : http://youtu.be/bxf_NZ79QCI
 
JOSÉ HERMITO DE SÁ
CLODOALDO URSULANO
MANOEL BIRÊ DE AGRELLA e
FRANCISCO ALVES DA ROCHA
Soldados: LUIZ GONZAGA
LINO VITOR DOS SANTOS
JOÃO DE DEUS ARAÚJO
ÁLVARO DE SOUZA PEREIRA
GENARO PEDRO LIMA
WILSON FRANÇA
PÉRICLES LEAL BEZERRA
ORLANDO HENRIQUE e
JOSÉ MENEZES FILHO.
Finalizando o Cel Robson continua ao microfone: - "A Banda de Clarins do 2º Regimento de Cavalaria de Guarda, Regimento Andrade Neves, executará o toque da Vitória, em memória dos militares imolados, setenta e seis anos atrás."
 
Adicionar comentário