Relação dos militares vítimas e daqueles que devem permanecer com seus  nomes execrados perante o povo brasileiro  para sempre           
Por Aluisio Madruga de Moura e Souza
            Como antecipei no artigo anterior vamos relacionar todos os militares assassinados nos quartéis de Natal, nos de Recife, no 3º Regimento de Infantaria e na Escola de Aviação, sendo que estas  últimas duas  Unidades estavam sediadas no Rio de Janeiro. Muitos civis também foram assassinados em Natal e principalmente em Recife, mas desconhecemos os números, até porque houve a intenção do governo da época em não divulga-los. Citaremos os principais militares - traidores mercenários/assassinos - nos três focos do levante e os civis brasileiros e estrangeiros de maior participação na tentativa de impor a ditadura do proletariado entre nós.  
Para facilitar a leitura os nomes estão numerados e em coluna, o que por certo vai aumentar o número de páginas. Mas peço ao leitor que não desista, tendo em vista  uma melhor compreensão do todo. Lembrem-se que este é o artigo de número III de um total de V.
            OBS: os dados aqui citados foram extraídos do livro “1964 – A Revolução Injustiçada” de Gustavo O. Borges, Editora JAC. Ao parabenizar ao Cel Aviador Gustavo Borges, ex-Secretário de Segurança Pública da Guanabara a época do  Governador Carlos Lacerda, também o agradeço. Penso como o amigo: que falta o Governador Lacerda está fazendo. 
Vamos inicialmente citar todos aqueles que foram assassinados pelos seus companheiros de farda  que os traíram e, também, ao povo brasileiro e a sua Pátria, em apoio ao comunismo.
(1)   Os assassinados
1.      Ten Cel Misael de Mendonça
2.      Maj João Ribeiro Pinheiro
3.      Maj Armando de Souza Mello
4.      Cap Benedito Lopes Bragança
5.      Cap Danilo Paladini
6.      Cap Geraldo de Oliveira
7.      1º Ten José Sampaio Xavier
8.      2º Ten Res Lauro Leão de Santa Rosa(convocado)
9.      2º Sgt Jaime Pantaleão de Morais
10.  2º Sgt José Bernardo Rosa
11.  3º Sgt Coriolano Ferreira Santiago
12.  3º Sgt Abdiel Ribeiro dos Santos
13.  3º Sgt Gregório Soares
14.  1º Cabo Luiz Augusto Pereira
15.  1º Cabo Carlos Botelho
16.  2º Cabo Alberto Bernadino de Aragão
17.  2º Cabo Pedro Maria Netto
18.  2º Cabo Fidelis Baptista de Aguiar
19.  2º Cabo José Harmito de Sá
20.  2º Cabo Clodoaldo Ursulano
21.  2º Cabo Manuel Biré de Agrella
22.  2º Cabo Francisco Alves da Rocha
23.  2º Cabo Wilson França
24.  2º Cabo Péricles Leal  Bezerra
25.  2º Cabo Orlando Henriques
26.  2º Cabo José Menezes Filho
27.  2º Cabo Manoel Alves da Silva
28.  Sd Ex João de Deus Araújo
29.  Sd Ex Álvaro de Souza Pereira
30.  Sd Ex Genaro Pedro Lima
31.  Sd PM/RN Luiz Gonzaga de Souza
32.  Sd PM/PE Lino Victor dos Santos. 
A  estes patriotas a nossa eterna gratidão. Quem leu os artigos anteriores e em particular o Relatório Dimitroff sabe que eles não morreram em vão. A China se tornou comunista em 1949. Mas o Brasil até hoje não.
(2)   Relação dos principais mercenários-assassinos nos três foco sublevados

Militares que foram expulsos do Exército Brasileiro e os que sofreram outras punições.
a.      Expulsos
1.      Cap Luiz Carlos Prestes
2.      Maj Carlos Costa Leite
3.      Cap Ten Heculino Cascardo
4.      Cap Ten Roberto Faller Sisson
5.      Cap Carlos Amorety Osório
6.      Cap Agildo da Gama Barata Ribeiro
7.      Cap Álvaro Francisco de Souza
8.      Cap José Leite Brasil
9.      Cap Sócrates Gonçalves
10.  Cap Agliberto Vieira de Azevedo
11.  1º Ten David de Medeiros Filho
12.  1º Ten Durval Miguel de Barros
13.  1º Ten Celso Tovar Bicudo de Castro
14.  1º Ten Benedito de Carvalho
15.  2º Ten Francisco Antônio Leivas Otero
16.  2º Ten Antonio Bento Monteiro Tourinho
17.  2º Ten José Gutman
18.  2º Ten Raul Pedroso
19.  2º Ten Ivan Ramos Ribeiro
20.  2º Ten Humberto Baena de Moraes Rego
21.  2º Ten José Gay da Cunha
22.  2º Ten Carlos Branwick França
23.  Ten Dinarco
24.  Asp Of Walter José Benjamim da Silva
25.  3º Sgto Victor Ayres da Cruz 
b.      punidos de outras formas
1.      Ten Cel Newton Estilhac Leal
2.      Cap Tácito Lívio Reis de Freitas
3.      Cap Lincoln Cordeiro Oest
4.      Ten Candido Manoel Ribeiro 
Civis brasileiros e estrangeiros considerados os mais importantes na condução da Intentona.
a.      civis brasileiros
1.      Antônio Maciel Bonfim( que usou o nome falso de Adalberto de Andrade Fernandes e codinomes de Miranda, Queiroz, Marques, Bonfim e outros)
2.      Honório de Freitas Guimarães(assassino de Elza Fernandes)
3.      Lauro Reginaldo da Rocha, em verdade Lauro Reginaldo Teixeira
4.      Adelino Deycola dos Santos
5.      Dr. Silo Furtado Soares de Meirelles
6.      Benjamim Soares Cabello
7.      Dr. Francisco Mangabeira
8.      Dr. Manoel Venâncio Campos da Paz
9.      Dr. Pedro Ernesto Baptista
10.  Moacir Werneck de Castro
b.      civis estrangeiros
1.      Arthur Ewert, em verdade Harry Berger de nacionalidade alemã
2.      Rodolpho Ghioldi, Sec. Geral do PC argentino
3.      Léon Jules Vallée, de nacionalidade belga
4.      Pavel Stuchevski, ucraniano e esposa Sofia, agentes do Komintern
5.      Elise Saborovski, codinome Saba, esposa de Arthur Ewert
6.      Olga Benário, agente da GRU(Exército Vermelho)  e amante de Luiz Carlos Prestes.
7.      Amleto Locatelli, italiano, agente do Partido Comunista Italiano(PCI)
8.      Jonny de Graaf de nacionalidade alemã
9.      Victor Allen Baron, americano e operador de rádio.

“ Os demais implicados, quer os simples executores materiais, quer os prestadores de auxílio ou de instruções para a execução dos crimes, se enquadram na categoria de co-réus. Seus nomes constam nos autos dos processos arquivados no Tribunal de Segurança Nacional já extinto. Além destes, muitos outros foram identificados pelo jornalista William Waack nos arquivos de Moscou, entre eles Celestino Paraventi, paulista, encarregado de receber e repassar o dinheiro vindo de Moscou para Pavel Stuchevki.”.           
            No artigo a seguir que será o de número IV citaremos detalhes dos assassinatos do Capitão Danilo Paladini e do Capitão  Benedito Lopes Bragança, para que o leitor tenha para sempre até aonde chegou a covardia dos que fizeram a Intentona de 1935. 
            Aluisio Madruga é autor dos livros:
            Guerrilha do Araguaia Revanchismo – A Grande Verdade e
            Documentário – Desfazendo Mitos da Luta Armada
           
Comentários  
#2 Milton 02-12-2015 03:51
"Teríamos que saber também a relação dos traidores, Intentona IV, para tirarmos conclusões da crueldade! Ainda existem muitos traidores nos dia de hoje. Temos que nos cuidar"!
Brasil acima de tudo!
Por aqui não passarão!
#1 Juarez Soares Lopes 11-10-2014 15:35
Ótimo trabalho vocês fazem pelo Brasil ao contrapor com as "verdades" vigentes
Adicionar comentário