Verbas oficiais irrigam ONGs ligadas ao PCdoB -
Uma das instituições recebeu R$12 milhões em convênios com quatro diferentes pastas entre 2006 e 2010
Cleide Carvalho - João Sorima Neto - O Globo - 25/10/2011
SÃO PAULO. Não é apenas no Ministério do Esporte que ONGs ligadas ao PCdoB se alimentam de recursos federais. Elas aparecem como beneficiárias de verbas dos ministérios da Cultura, Saúde e Cidades. .
Uma delas é o Centro de Estudos e Memória da Juventude (CEMJ), que recebeu R$2,1 milhões desde 2004 e funciona no mesmo endereço da União da Juventude Socialista, ligada ao partido, na rua Treze de Maio, em São Paulo
O Centro só se tornou influente depois que Gustavo Petta, cunhado do ministro do Esporte, Orlando Silva, foi seu dirigente.
Como representante do CEMJ, Gustavo Petta chegou ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, da Presidência da República, em maio de 2009, ano em que assumiu a Secretaria de Esportes de Campinas, da qual foi exonerado ontem.
Na véspera do Natal de 2009, o CEMJ obteve, num único dia, dois contratos no valor de R$400 mil com a Cultura. Num deles, tinha a incumbência de fazer um documentário, uma revista e um encontro de jovens em Salvador. No outro, cinco vídeos sobre o jovem brasileiro.
No portal do CEMJ, a entidade anuncia o Portal Juventude+Brasil, com recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC). Mas o endereço virtual dado pela ONG remete a uma página no Facebook elaborada por um casal de Belo Horizonte. O projeto recebeu mais R$250 mil para incluir uma rádio web, num convênio assinado em dezembro de 2010.
No dia 31 de dezembro de 2010, foi a vez de o Ministério do Esporte entregar à entidade R$390 mil num convênio para avaliar o legado de megaeventos esportivos. O dinheiro já foi liberado. Para fazer o trabalho, a ONG está subcontratando empresas. Uma das que já apresentaram orçamento é a Contra-Regras, que apareceu como fornecedora para outra ONG ligada a Gustavo Petta, o Instituto Via BR.
A Confederação Nacional das Associações de Moradores (Conam), ONG presidida por Bartíria Perpétua da Costa, que é do Comitê Central do PCdoB e está há 20 anos no partido, recebeu R$12 milhões em convênios com quatro ministérios - Cidades, Saúde, Cultura e Esportes - entre 2006 e 2010. A Conam diz atuar em áreas como moradia, saúde e transporte, além de igualdade de gênero. Mas foi com o esporte que obteve a maior parte dos recursos federais. Só em convênios do programa Segundo Tempo, obteve R$9,4 milhões em contratos com o ministério, desde 2006. O 1º convênio entre a Conam e o ministério foi assinado em 2006, ano em que Orlando tomou posse.
Com o Ministério das Cidades, a Conam fechou convênio para fazer um documento com a visão da entidade sobre o Estatuto das Cidades. O valor foi de R$150 mil. Com a Cultura, os contratos somaram R$2,4 milhões.
- Estamos fechando nossa última prestação de contas e nenhuma irregularidade foi apontada - diz Bartíria.
 

Comments powered by CComment