Theodomiro Romero
dos Santos, que  de-
pois de preso matou,
pelas costas, com um
tiro na nuca, o sargento
Walder Xavier de Lima

Foice e machado 

Por Mônica Bergamo - Folha de São Paulo - 26/09/2011
O governo concederá anistia e indenização nesta semana a um personagem emblemático: Francisco Julião, líder das Ligas Camponesas, organização do sertão pernambucano que lutava pela reforma agrária antes do golpe militar de 1964. Foi cassado e preso pela ditadura militar, exilando-se depois no México.

Voltou ao Brasil em 1979 e morreu em 1999.
No mesmo dia 30, sexta-feira, a Caravana da Anistia apreciará o processo do cantor Geraldo Azevedo. E também de Theodomiro Romeiro dos Santos. Ao ser preso, na década de 70, ele matou um militar que participava de sua detenção.


Texto completo

Chegou a ser condenado à morte. Não pôde voltar ao Brasil depois da anistia de 1979, mas só depois de

  
        Foice-e-martelo
expirada a sua condenação. Hoje, é juiz do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de Pernambuco.

Leia aqui matéria sobre o crimes de Theodomiro Romeiro dos Santos  

Observação do site www.averdadesufocada.com  :
5/9/1985: Theodomiro dos Santos, o último exilado, voltou ao Brasil e foi recebido como herói por alguns militantes da luta armada.

A foice-e-martelo é um símbolo geralmente usado para representar o comunismo e os partidos políticos comunistas. O desenho apresenta uma foice sobreposta a um martelo, de forma que pareçam cruzados ou entrelaçados. As duas ferramentas simbolizam, respectivamente, o proletariado industrial e o campesinatoas duas classes cuja aliança é considerada fundamental pelos marxistas-leninistas para o triunfo da revolução socialista. ( Wikipédia)

Comments powered by CComment