Ato público em frente ao Congresso Nacional
 -2005/2005-, em homenagem às vítimas do
terrorismo. Oito dessas cruzes com os nomes de:
Cardênio Jaime Dolce-delegado PF, aposentado
Silvânio Amâncio dos Santos-segurança
Demerval Ferreira dos Santos - segurança
Gentil Procópio - motorista de praça
José Getúlio Borba - comerciário
João Guilherme Brito - soldado PMSP
Eduardo Custódio de Souza-soldado PMSP
Bertonino Ferreira da Silva -segurança
O site www.averdadesufocada.com
 reverencia a todos os que, na primeira quinzena de setembro, durante a luta armada, tombaram pela fúria política de terroristas. Os seus assassinos, sob a mentira de combater uma ditadura militar, na verdade queriam implantar uma ditadura comunista em nosso país. Para isso, atentaram contra o Brasil, desprezando os direitos humanos verdadeiros e os princípios realmente democráticos.
Curiosamente, talvez pela comemoraçãoda Semana da Pátria, os meses de setembro destacavam-se como os mais trágicos de todos os meses manchados pela insânia comunista.
Como hoje, para eles, a comemoração da efeméride da Independência significava “coisa de militares”, o que açulava o ódio e a gana dos assassinos vermelhos e estimulava o desencadeamento de ações fratricidas.
A esses heróis, abaixo relacionados, o reconhecimento da Democracia e a garantia da nossa permanente vigilância, para que o sacrifício de suas vidas não tenha sido em vão:
02/09/71 – Cardênio Jaime Dolce - delegado aposentado
                  Silvâno Amâncio dos Santos -  guarda de segurança - RJ 
  
     Cardênio Jaime Dolce
                  Demerval Ferreira dos Santos - guarda de segurança - RJ  
Assalto à Casa de Saúde Dr Eiras
Animados  com o  resultado do assalto ao Hospital da Ordem Terceira, A CR/GB (Coordenação Regional/Guanabara da ALN – Ação Libertadora Nacional ) planejou o assalto à Casa de Saúde Dr Eiras, em Botafogo. Levantaram o dia do pagamento dos funcionários , 2 de setembro de 1971, e partiram para a ação.  Faziam parte do GTA (Grupo Tático Armado): Flávio Augusto Neves Leão Sales , Hélcio Pereira Fortes, Antonio Carlos Nogueira Cabral, Sônia Hipólito, Aurora Nascimento Furtado, Isis  Dias de Oliveira , Paulo César Botelho Massa, além de José Milton Barbosa, Antônio Sergio de Matos e Hélber José Gomes Goulart, vindos de São Paulo como reforço.
A guarda de segurança do hospital reagiu ao assalto. Depois de intenso tiroteio, Cardênio Jaime Dolce, Silvano Amâncio dos Santos e Demerval Ferreira dos Santos estavam mortos. Ficaram feridos o médico Dr. Marilton Luiz dos Santos Morais e o enfermeiro Almir Rodrigues de Moraes.
A ação deixou três viúvas e 14 crianças órfãs
02/09/71 – Gentil Procópio de Melo (motorista de praça - PE)
A organização terrorista denominada Partido Comunista Revolucionário - PCR- determinou que um carro fosse roubado para realizar um assalto. Cumprindo a ordem recebida, o terrorista José Mariano de Barros tomou um táxi em Madalena, Recife. 
Ao chegar ao Hospital das Clínicas, quando fingia que ia pagar a corrida apareceram seus comparsas Manoel Lisboa de Moura e José Emilson Ribeiro da Silva, que se aproximaram do veículo, tendo José Emilson disparado dois tiros que mataram o motorista Gentil Procópio de Melo.  
03/09/69 – José Getúlio Borba (comerciário - SP)
                   João Guilherme de Brito (soldado PM – SP)
Os terroristas da Ação Libertadora Nacional (ALN) Antenor Meyer, José Wilson Lessa Sabag, Francisco José de Oliveira e Maria Augusta Tomaz, resolveram comprar um gravador na loja Lutz Ferrando, na esquina da Avenida Ipiranga com a Rua São Luis. O pagamento seria feito com um cheque roubado num assalto. Descobertos, receberam voz de prisão e reagiram. Na troca de tiros o guarda civil João Szelacsak Neto ficou ferido com um tiro na coxa e o funcionário da loja, José Getúlio Borba, foi mortalmente ferido. Perseguidos pela polícia o terrorista José Wilson Lessa Sabag matou a tiros o soldado da Força Pública (atual PM) João Guilherme de Brito  Na troca de tiros José Wilson Lessa Sabag foi morto.
07/09/68 – Eduardo Custódio de Souza - (soldado PM – SP)
Morto, com sete tiros, por terroristas da ALN qando de sentinela no DEOPS, em São Paulo.
14/09/70 – Bertolino Ferreira da Silva (guarda de segurança - SP)
Morto durante assalto praticado pelas organizações terroristas ALN e MRT ao carro pagador da empresa Brinks, no Bairro do Paraíso em são Paulo.
 
Os mortos aqui relacionados não dão nomes a logradouros públicos, nem seus parentes receberam indenizações, mas os responsáveis diretos ou indiretos por suas mortes dão nome a escolas, ruas, estradas e suas famílias receberam vultosas indenizações, pagas com o  dinheiro do contribuinte.
 
Adicionar comentário