Técnicos, com equipamentos- procura de ossadas 
Correio Braziliense - 23/07/2011
O Grupo de Trabalho Araguaia, vinculado aos ministérios da Justiça, Defesa e Secretaria de Direitos Humanos, deve começar os trabalhos de busca pelos restos mortais dos desaparecidos políticos no próximo mês. Uma portaria publicada ontem no Diário Oficial da União definiu o nome dos integrantes do projeto, inclusive a participação dos integrantes das pastas e dos familiares das vítimas do regime militar.
A organização do grupo é parte do cumprimento da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que condenou o Brasil pelas mortes na Guerrilha do Araguaia. De acordo com a portaria, o Estado custeará em cada expedição, diárias e passagens de até três familiares. Foram definidos ainda a participação de observadores dos trabalhos, membros do Partido Comunista do Brasil, e da Advocacia Geral da União.
 
Adicionar comentário