Vítimas do terrorismo  XXIV
Na primeira quinzena de junho reverenciamos a todos os que,  to
 

  Ato público em frente ao Congresso Nacional -
2004/5 - CadaQuatro dessas cruzes  levam os 
seguintes nomes:
-Sargento PMSP Rosendo Rezende
-Soldado PMSP Boaventura Rodrigues Silva
-Civil Antônio Lisboa Ceres de Oliveira
-Agente Polícia Federal Irlando de Moura Régis

mbaram pela fúria de terroristas. Cabe-nos lutar para que recebam isonomia no tratamento que os “arautos” dos direitos humanos dispensam aos seus assassinos, que hoje recebem pensões e indenizações do Estado contra o qual pegaram em armas.
Move-nos, verdadeiramente, o desejo de que a sociedade brasileira lhes faça justiça e resgate aos seus familiares a certeza de que não serão esquecidos.
Eles perderam  a vida no confronto do qual os seus verdugos, embora derrotados, exibem, na prática, os galardões de uma vitória bastarda, urdida por um revanchismo odioso.
A esses mártires o reconhecimento da Democracia e a garantia da nossa permanente vigilância, para que o sacrifício de suas vidas não tenha sido em vão.
Seus assassinos ou suas famílias  foram indenizadas pelo governo federal e algumas também pelos governos estaduais.
As famílias das 119  vítimas, assassinadas por eles, esperam por justiça até hoje

Texto completo
02/06/72 – Rosendo Rezende -  (Sargento PM – SP)
Morto ao interceptar 04 terroristas que assaltaram um bar e um carro da Distribuidora de Cigarros Oeste Ltda.- VPR
04/06/69 – Boaventura Rodrigues da Silva - (Soldado PM – SP)
Morto por terroristas durante assalto ao Banco Tozan - Organização : ALN
09/06/71 – Antônio Lisboa Ceres de Oliveira - (Civil – RJ)
Morto por terroristas durante assalto à boate Comodoro.
11/06/70 – Irlando de Moura Régis - (Agente da Polícia Federal – RJ)
No dia 11/06/70, o embaixador da Alemanha, Ehrenfried Von Hollebem, saiu da Embaixada, no Rio de Janeiro, para a sua residência. Sentado no banco de trás de sua Mercedes preta, o embaixador tinha como motorista o funcionário Marinho Huttl e o agente da Polícia Federal Irlando de Moura Régis, sentado no banco da frente e portando um revólver .38. Seguindo a Mercedes, como segurança, ia uma Variant com os agentes da Polícia Federal Luiz Antônio Sampaio como motorista e José Banharo da Silva, com uma metralhadora INA.
Tendo ocupado o dispositivo desde antes das 19:00 horas, o “Comando Juarez Guimarães de Brito” executou o seqüestro às 19:55 horas, nas proximidades da residência do embaixador, no cruzamento das ruas Cândido Mendes com a Ladeira do Fialho.
Ao aproximar-se o carro diplomático, Jesus Paredes Soto deu um sinal a José Maurício Gradel que avançou uma “pick up” Willys, abalroando a Mercedes. Incontinente o casal que “namorava” na Escadinha do Fialho, Sônia Eliane Lafóz e José Milton Barbosa, este com uma metralhadora, disparou sua arma contra a Variant da segurança, ferindo Luiz Antônio Sampaio no abdômen e na coxa esquerda e José Banharo da Silva na cabeça. Ao mesmo tempo, Eduardo Coleen Leite “Bacuri”, à queima roupa, disparou três tiros de revólver .38 em Irlando de Moura Régis, matando-o com um tiro na cabeça.
Herbert Eustáquio de Carvalho, empunhando uma pistola .45 tirou o diplomata da Mercedes e embarcou-o no Opala, dirigido por José Roberto Gonçalves de Rezende.
Participaram, ainda, deste crime hediondo os terroristas Alex Polari Alvarenga e Roberto Chagas da Silva.
A Ação foi praticada "em frente" pelas organizações VPR e ALN
As famílias de subversivos, de assaltantes de bancos, de seqüestradores, de assassinos e de terroristas políticos foram indenizadas pelo governo.Enquanto isto, famílias de cidadãos inocentes, atingidos em ações dos “guerrilheiros” como em assaltos a bancos, ou despedaçados por bombas nos atos terroristas, como no atentado ao Aeroporto de Guararapes, em Recife, são totalmente esquecidas.
Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar