Imprimir
Categoria: Forças Armadas
Acessos: 3254

Ouçam comentário de Boechat na Band News http://youtu.be/42KBqoZuWGQ 
PM E CELEBRIDADES APOIAM BOMBEIROS

 
 Onda vermelha dos bombeiros consegue vários
 adeptos
A PM entra na briga

Movimento dos bombeiros ganha a adesão dos policiais militares e entidades criam Frente Unificada, para exigir piso de R$2.900
Gustavo Goulart e Vinícius Lisboa - O Globo - 09/06/2011
A onda vermelha desencadeada pelos bombeiros após a invasão do Quartel Central, na sexta-feira passada, ganhou um novo tom: o azul da Polícia Militar, que aderiu ao movimento ontem. .

Representantes de entidades de classe da segurança pública do Rio se reuniram com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, e apresentaram, além da unificação da pauta de reivindicações das duas corporações, a proposta de elevar o piso salarial para R$2.900
A quantia é R$900 acima do reivindicado anteriormente pelos bombeiros. Antes mesmo de a adesão dos PMs ser oficializada, mais de cem policiais participaram de uma carrreata com bombeiros em Cabo Frio.
À noite, a juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar, negou o relaxamento da prisão de 431 bombeiros que estão presos. O pedido tinha sido feito pela Defensoria Pública. Na decisão, a juíza escreveu que a liberdade dos militares poderia pôr em risco a ordem pública e provocar transtornos aos cidadãos, por causa das manifestações, além de aumentar a certeza da impunidade. Há 439 bombeiros presos, mas apenas 431 são atendidos pela Defensoria Pública.
Após a reunião com o comandante, representantes da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, da Associação dos Oficiais Bombeiros, do Clube de Cabos e Soldados da PM e da Associação de Cabos e Soldados Bombeiros anunciaram a criação da Frente Unificada das Entidades de Classe da Segurança Pública. O Sindicato dos Policiais Civis do Estado apoiará o grupo.
O encontro, no Quartel Central, durou cerca de duas horas. Nilo Guerreiro, presidente da Associação de Cabos e Soldados Bombeiros, explicou que a comissão chegou ao mínimo de R$2.900 com base na média nacional de pisos da PM e do Corpo de Bombeiros. Hoje, o piso dos bombeiros é R$1.198; o dos PMs está em torno de R$1.100.(...)

Leia íntegra da matéria no Globo
                                         xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Bombeiros ganham apoio de celebridades
Atores de novela da Globo gravam vídeo pedindo a libertação dos 439 presos
Nas ruas do Rio, carros e vans circulam com fitas vermelhas; negociação salarial com o governo continua sem acordo
Fábio Grellet - Rodrigo Rötzsch - Folha de São Paulo - 09/06/2011
Enquanto os bombeiros e o governo do Rio continuam sem um acordo para pôr fim aos protestos da categoria, crescem as manifestações de apoio público à corporação.
Ontem, atores da Rede Globo gravaram um vídeo pedindo a libertação dos 439 bombeiros presos pela invasão do Quartel Central da corporação, na última sexta.
Nas ruas do Rio, carros e vans circulam com fitas vermelhas em apoio aos bombeiros. O técnico do Flamengo, Vanderlei Luxemburgo, colocou uma fita no pulso.
O roqueiro Tico Santa Cruz divulgou carta aberta em apoio aos bombeiros e prometeu fazer hoje um sarau nas escadarias da Assembleia Legislativa, onde centenas deles estão acampados.
"Não podíamos ficar calados diante dessa injustiça", disse à Folha o ator Sergio Marone, que reuniu colegas da novela "Morde e Assopra" no vídeo "Rio Vermelho".
"Não se sobrevive com um salário de R$ 950. Exigimos a liberdade de todos", diz no vídeo a atriz Cassia Kiss.
Ontem, em Niterói, cerca de 400 pessoas se reuniram na praia de Icaraí num ato em apoio aos bombeiros.
Enquanto isso, as negociações entre bombeiros e governo seguem a passo lento.
Ontem, o comandante-geral da corporação, Sérgio Simões, recebeu o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Nilo Guerreiro, que reivindicou um piso salarial de R$ 2.900 para bombeiros e policiais.
Simões disse que continuará ouvindo a categoria para levar uma proposta unificada ao governador Sérgio Cabral (PMDB).(...)
Leia íntegra da matéria na Folha de São Paulo