Fraudes levam 11 à prisão em Campinas
Vice-prefeito e dois secretários municipais estão foragidos ; oposição decide pedir o impeachment do prefeito
Autores Guilherme Voitch e Cleide Carvalho- O Globo 21/05/2011
São Paulo - Investigações de fraudes em licitações e contratações de serviços pela Prefeitura de Campinas levaram à prisão 11 pessoas e colocaram na condição de foragidos o vice-prefeito da cidade, Demétrio Vilagra, do PT, e dois secretários municipais: Francisco de Lagos (Comunicação)  e Carlos Henrique Pinto ( Segurança Pública) , ambos filiados ao PDT.
Texto completo
A megaoperação  realizada ontem, coordenada por 28 promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do ministério público de São  Paulo abriu uma crise política na terceira maior cidade paulista, que ontem teve a rotina quebrada pela presença de dezenas de policiais em busca das autoridades envolvidas no esquema.
Liderada pelo vereador Artur Orsi, do PSDB, a oposição vai pedir o impeachment do prefeito Hélio de Oliveira Santos ( PDT), um dos principais aliados políticos do PT no estado. O prejuizo causado pelo esquema aos cofres públicos  atinge pelo menos R$  615 milhões .
 Esquema em empresas de saneamento básico
Além do vice-prefeito e dos dois secretários, outros nove suspeitos estão foragidos, entre eles o empresário José Carlos Cepera, apontado pelo MP como dono de seis empresas, comandadas por  " laranjas".
Em Campinas, o alvo da investigação do MP é a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento ( Sanasa), empresa de saneamento básico do município. Aurélio Cance Júnior, diretor da Sanasa, foi preso. . A prefeitura informou que não vai ter acesso ao processo.
Além do vice-prefeito e dos secretários, são considerados foragidos os empresários Gabriel Ibrahim Guttierrez,  Dalton dos Santos Avancini, Ivan Goretti de Deus, Emerson Geraldo de Oliveira, José Carlos Cepera e   Maurício de Paulo Manduca.
A megaoperação começou durante a madrugada. Participaram 28 promotores e mais de 80 policiais militares e civis.  Em Campinas foram presos, além do diretor da Sanasa, os empresários Ricardo Cândia ( ex-diretor de Planejamento da Prefeitura de Campinas), Valdir Carlos Boscatto e Gregório Vanderlei Cerveira. João Carlos Ibrahim Guttierrez foi preso em Jundiaí.
Em São Paulo, foram presos  Marcelo Quartin Barbosa de Figueiredo, Luiz Arnaldo Pereira Mayer e Pedro Luiz Ibrahim Hallach. João Tomás Pereira Júnior foi preso em Jaguariúna.Alfredo Ferreira Antunes e Augusto Ribeiro Antunes foram presos em Vinhedo. Todos eles são empresários. O advogado dos dois últimos, Edson Carneiro Júnior disse que seus clientes estavam colaborando com o MP e que eles próprios haviam denunciado  irregularidades.
De acordo com o delegado da 2ª Corregedoria da Polícia Civil em Campinas, Roveraldo Bataglini, foram apreendidos cerca de R$ 200 mil em dinheiro vivo, além de equipamentos de informáticas e documentos .
Nas investigações, iniciadas no ano passado, o MP descobriu que o esquema operado por José Carlos Cepera envolve ainda outras prefeituras e empresas públicas em São Paulo e no estado do Tocantins.
A notícia de que os envolvidos haviam fugido criou um clima de tensão na sede da Prefeitura, que foi cercada por centenas de manifestantes, a maioria servidores públicos em greve.
O PT está no poder em Campinas há 10 anos.

Comments powered by CComment