Imprimir
Categoria: Luta armada
Acessos: 2138

 
        Historiador Daniel Aarão Reis  Filho
Sugestão para depoimento: Daniel Aarão Reis
07/04/2011
Parte da entrevista de Daniel Aarão Reis Filho, publicada em O Globo de 23/09/2001:
“As ações armadas da esquerda brasileira não devem ser mitificadas. Nem para um lado nem para o outro. Eu não compartilho da lenda de que no final dos anos 60 e no início dos 70 (inclusive eu) fomos o braço armado de uma resistência democrática. Acho isso um mito surgido durante a campanha da anistia. Ao longo do processo de radicalização iniciado em 1961, o projeto das organizações de esquerda que defendiam a luta armada era revolucionário, ofensivo e ditatorial. Pretendia-se implantar uma ditadura revolucionária. Não existe um só documento dessas organizações em que elas se apresentassem como instrumento da resistência democrática.”
Daniel Aarão Reis Filho foi militante ativo na luta armada.Em 15 de junho de 70, foi um dos quarenta militantes que estavam  presos e foram banidos para a Argélia, em troca da vida do embaixador da Alemanha Ehrenfried Von Hollenben, sequestrado em 11/06/1770. 
Atualmente é professor titular de História Contemporânea da UFF.