Afinidades ideológicas
Direitos humanos na mira
Brasil é criticado por silenciar sobre Cuba, Venezuela e Irã
O Globo - 29/01/2001
Davos - Suíça. Muito elogiado no plano econômico, o Brasil acabou sendo criticado num debate dedicado ao país no Fórum Econômico Mundial ontem. Na plateia, o economista venezuelano Ricardo Haussman, da Universidade de Harvard, nos EUA, bateu duro, ao dizer que o Brasil de Lula se aliou a ditadores e aplicou dois pesos e duas medidas na política externa. E foi aplaudido.
- Ser um ator importante no cenário internacional requer responsabilidades. O Brasil tem silenciado em relação a tratados democráticos internacionais - criticou.
Haussman disse que o Brasil ficou calado quando a Venezuela de Hugo Chávez abrigou membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), mas protestou quando a Colômbia fechou um acordo militar com os EUA. Ele citou ainda o silêncio brasileiro no caso dos grevistas de fome em Cuba, e a ligação do Brasil com o regime do líder iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.
O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, também foi duro na resposta.
- O Brasil tem sido grande defensor dos direitos humanos e da democracia. Nossa principal preocupação é ver o progresso em situações específicas. Se o silêncio pode contribuir para o progresso, via canais indiretos, então sou favorável ao silêncio em certas situações - disse Patriota. (Deborah Berlinck, enviada especial) 
 
 

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar