Artifício usado na capitalização garante ao governo resultado fiscal recorde de R$ 26 bi
Martha Beck
BRASÍLIA- O Globo 27/10/2010
Uma manobra fiscal feita pela União no processo de capitalização da Petrobras rendeu R$ 31,9 bilhões aos cofres públicos e levou o governo central (que inclui Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) a registrar, em setembro, o maior superávit primário da História: R$ 26,1 bilhões. Sem o reforço da estatal, o resultado teria sido a pior do ano, um déficit de R$ 5,8 bilhões. A “mágica” do governo — fortemente criticada por especialistas — será essencial para o cumprimento da meta fiscal de 2010, mas deixará para o próximo presidente uma estatística das finanças públicas menos transparente.
O superávit fiscal primário no mês passado (economia para pagamento de juros da dívida pública) equivale a um crescimento de 552% em relação a agosto, quando o saldo foi de R$ 4 bilhões. O recorde anterior era de R$ 16,7 bilhões e foi obtido em abril de 2008. No acumulado do ano, o superávit do governo central está em R$ 55,7 bilhões. Isso porque, embora o Tesouro tenha um resultado positivo de R$ 95,8 bilhões no período, a Previdência Social e o Banco Central são deficitários em R$ 39,7 bilhões e R$ 403,5 milhões, respectivamente.(...)
Leia íntegra no Globo

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar