Será que é medo da FICHA LIMPA ?
Folha recorre ao STF para ver processo de Dilma na ditadura
Folha de São Paulo
Justiça militar suspendeu julgamento de ação por duas vezes
A Folha protocolou ontem no Supremo Tribunal Federal uma ação cautelar para tentar acessar o processo que levou a candidata do PT à Presidência Dilma Rousseff à prisão em 1970, durante a ditadura militar (1964-85).
A medida foi tomada pelo jornal por causa da falta de decisão do Superior Tribunal Militar, que suspendeu por duas vezes o julgamento de ação da Folha para acessar ao autos referentes à participação de Dilma em organizações da esquerda armada.
Segundo Taís Gasparian, advogada da Folha, ao adiar a decisão, o STM "viola o direito da requerente de obter a necessária e urgente decisão que lhe permita ter acesso aos autos da ação penal".
A Folha justifica a urgência citando a "atualidade do interesse público", já que a candidata pode se tornar a próxima presidente. Por isso, solicita acesso antes da eleição, para os leitores conhecerem o passado de Dilma.
A Advocacia Geral da União, no último dia 19, pediu acesso à ação da Folha e suspendeu o julgamento.
Em agosto, a Folha revelou que o processo de Dilma estava trancado em um cofre por decisão do presidente do tribunal militar. Por 40 anos, o processo de Dilma foi público. Foi levado ao cofre, em abril, por decisão do presidente do STM, Carlos Alberto Soares. Ele alega querer evitar uso político do material.
Na ação no STF, a Folha diz que Soares é uma "autoridade administrativa" e não pode, "arbitrariamente, decidir o que é levado ao conhecimento público e o que não é". O jornal diz ainda que há uma negativa de "prestação jurisdicional" pelo tribunal.

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar