Roseana acusada de lavar dinheiro
Empréstimo teria encoberto repatriação de dólares não declarada ao fisco - O Globo
BRASÍLIA. Favorita na disputa pelo governo do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) é suspeita de, com o marido, Jorge Murad, simular um empréstimo no Banco Santos, em 2006, para repatriar recursos mantidos ilegalmente no exterior. A denúncia foi publicada ontem pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. Segundo a reportagem, o casal tomou emprestado R$ 4,5 milhões para justificar o resgate de US$ 1,5 milhão de um banco na Suíça. Os dólares não teriam sido declarados ao Fisco.
O empréstimo teria sido autorizado por Edemar Cid Ferreira, amigo da família Sarney e então dono do banco, atualmente em liquidação judicial. Segundo a reportagem, a quitação do débito ocorreu cinco dias depois.
Os dólares teriam sido usados na compra de participações acionárias em dois shoppings, em São Luís e no Rio.
Governadora diz que acusação é “velha e falsa” O Ministério Público Federal não se manifestou sobre a possibilidade de investigar Roseana.
Em nota, ela atribuiu a acusação à “campanha suja” de seus adversários. A governadora anunciou a intenção de tomar “as medidas judiciais cabíveis contra esta velha e falsa acusação”, sem detalhar se vai processar o jornal ou quem vazou a informação. “Não vou deixar que esses falsos acusadores divulguem suas mentiras impunemente”, diz a nota.
Aliada do PMDB, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou que “quanto a qualquer acusação, não se baseia em notícias de jornal”. Ela afirmou ainda que “no Brasil, nunca se combateu tanto a lavagem de dinheiro”.

Comments powered by CComment