José de Filippi - tesoureiro da campanha
  Pela editoria do site:  www.averdadesufocada.com
- José de Filippi Junior
Futuro tesoureiro da campanha de Dilma é condenado em
Por Mário Cesar Carvalho - Folha .com
De São Paulo
O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o futuro tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff e ex-prefeito de Diadema José de Filippi Junior a devolver valores que podem chegar a R$ 2,1 milhões para os cofres da prefeitura daquela cidade.
A decisão ocorreu pela contratação sem licitação do escritório do advogado Luiz Eduardo Greenhalgh. Filippi Jr. e Greenhalgh são do PT.
O escritório de Greenhalgh foi contratado pela Prefeitura de Diadema entre 1983 e 1996. Defendeu só duas causas, segundo o Ministério Público, e ganhou cerca de R$ 2,1 milhões pela tarefa. A prefeitura contava com 51 procuradores para defender os interesses da cidade, de acordo com a Promotoria. (...)
 Antionio Palocci
Foi membro atuante da organização  Libelu - Liberdade e Lula -, de inspiração Trotskista. para ser mais específico ele fez parte   da  Organização Socialista Internacionalista ( OSI ).
  
       Francenildo Costa  e o ex-ministro Palocci

Palocci aproximou-se do PT em 1998. No governo Lula chegou a ministro da Fazenda, sendo afastado do cargo em função dos escândalos ocorridos em 2005/2006 .         . Segundo declarações de Francenildo Costa, caseiro de uma mansão localizada no Lago Sul em Brasília, Palocci frequentava a casa que era alugada por ex-assessores do ex-ministro.. O  grupo, conhecido por República de Ribeirão Preto, era acusado de fraudes e desvio de dinheiro público pela polícia e pelo Ministério Público.
  Ainda segundo Francenildo, Palocci  era amigo dos seus moradores. Nessa casa eram realizadas reuniões, festas, churrascos e encontros com mulheres. Além disso, o caseiro afirmou que o local era usado também para partilha de dinheiro que chegava em uma mala. O caseiro disse que o Ministro Antonio Palocci costumava chegar  por volta das 18h30, num Peugeot prata e sair de lá depois das 22h.
A quebra do sigilo bancário de Francenildo, uma das testemunhas de acusação do então ministro da Fazenda, foi um dos escândalos de grande repercussão  na crise do Mensalão e da CPI dos Bingos, no governo  de Lula em 2005/06.
Em 2006, Antonio Palocci foi demitido pelo presidente Lula do cargo de Ministro da Fazenda.

  
 José Dirceu-o todo poderoso do PT
José Dirceu
Em 5 de setembro de 1969, José Dirceu (Daniel), menos de um ano depois da sua prisão em Ibiúna, foi um dos 15 militantes comunistas banidos para o México, em troca da vida do embaixador dos EUA, seqüestrado pela ALN e MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro). Chegando ao México, seguiu para Cuba, onde participou de cursos de guerrilha, fazendo parte do “III Exército da ALN” ou “Grupo da Ilha”, ou ainda, “Grupo Primavera”. 
José Dirceu, “Daniel”, sempre foi vinculado ao agrupamento comunista, que depois se transformou na ALN. Em Cuba, passou a fazer parte do grupo dissidente que, de volta ao Brasil, fundou o Molipo. No total, José Dirceu permaneceu em Cuba durante 18 meses, quando teria feito uma operação plástica nos olhos e no nariz. No período em que esteve em Cuba, voltou várias vezes ao Brasil, clandestinamente, com documentos falsos, entre 1971 e 1973.  
A revista
IstoÉ
, de 15/12/2004, publicou o seguinte sobre as declarações de José Dirceu à revista:  
(...) " Passei a entrar e sair do Brasil com arma, informação e documentos, relembra.”
José Dirceu só voltou definitivamente ao Brasil, como sempre clandestino, em abril de 1975, quando a luta armada já havia terminado. Com o nome falso de Carlos Henrique Gouveia de Melo, radicou-se em Cruzeiro d’Oeste, no Paraná, como caixeiro viajante.
Esta região foi selecionada pela inteligência cubana para fazer parte do currículo dos cursos de guerrilha ministrados aos brasileiros, seja para atender aos interesses de José Dirceu; seja pela localização estratégica da área; seja pela facilidade de acesso, homizio, dispersão, fuga e acesso a outras áreas; seja pela possível existência, na época, de uma estrutura de apoio que recebesse e desse segurança a José Dirceu; seja, ainda, pela conjugação desses e de
  
               Roberto Jefferson e José Dirceu
outros fatores  a serem considerados.
Em Cruzeiro d’Oeste, com documentos falsos, casou-se com Clara Becker, com quem teve um filho. Somente depois da anistia, em 1979, sua mulher tomou conhecimento de sua verdadeira identidade.

José Dirceu, até junho de 2005, era chefe da Casa Civil e o homem forte do PT no governo Lula. Com o escândalo nos Correios e as denúncias do “mensalão” - propinas que seriam usadas para compra de apoio ao governo - pediu demissão do cargo e voltou à Câmara, onde, como peça chave do esquema, segundo o deputado Roberto Jefferson, do PTB, foi inquirido na CPI instalada para apuração de possíveis irregularidades.
Em 30/11/2005, por 293 votos a 192, teve seu mandato cassado pelo Plenário da Câmara e perdeu seus direitos políticos por 8 anos. Na realidade ele terá de esperar dez anos para poder concorrer, democraticamente, a algum cargo eletivo.
“José Dirceu em um seminário do Partido dos Trabalhadores, realizado dias 15 e 16 abr 89, às vésperas da eleição presidencial, já vislumbrando uma vitória de Lula, e recordando-se do treinamento militar que recebeu em Cuba, com o nome de “Cmt Daniel”, disse: “Em vez de comandar uma coluna guerrilheira, o grande sonho de minha vida, vou ter que comandar uma coluna de carros oficiais em Brasília.

( Fonte A verdade Sufocada - A história que aesquerda não quer que o barsil conheça - Carlos Alberto Brilhante Ustra )

Fernando Pimentel

  
 Pimentel  e Dilma companheiros de organização

Foi prefeito de Belo horizonte pelo PT
Militava na  COLINA - Comando de Libertação Nacional-, a mesma organização da qual Dilma e o marido eram membros atuantes.  Em fevereiro de 1969 para prosseguir na subversão teve que sair de Belo Horizonte e aderir à vida clandestina. Abandonou o convívio da família, os estudos, em nome da luta armada  para  derrubar o regime militar e tentar implantar no Brasil a ditadura do proletariado, nos molde de Cuba, União Soviética e China,  objetivo principal das organizações subversivo-terroristas que aderiram à luta armada.  O ano de 1969 e 1970  Pimentel  viveu fora de Belo Horizonte, como clandestino. Primeiro no  Rio de Janeiro, depois em Porto Alegre . Entre as ações da guerrilha urbana no Brasil das quais  participou, além de assaltos está a frustrada tentativa de sequestro do Cônsul dos Estados Unidos, Curtis Carly Cutter, em Porto Alegre.
A frustrada tentativa levou , em abril de 1970, três militantes à prisão, inclusive Pimentel. que respondeu a inquérito e ficou preso  por três anos e meio (dois anos no Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, e um ano e meio em Minas Gerais, no presídio político de Linhares, em Juiz de Fora) de onde saiu em liberdade condicional.
Adicionar comentário