Pela editoria do site www.averdadesufocada.com  
Não compreendemos  qual o motivo do pedido de  quebra de sigilo  que o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência fez a Receita Federal..
Por que pessoas ligadas apenas pela profissão são submetidas a uma investigação pelo governo, que, para isso , não teve escrúpulos em violar o sigilo fiscal das mesmas? 
São eles:
 - um General-de-Exército da ativa, comandante do Departamento Logistico do Exército;
-  um ministro do Superior Tribunal Militar , também General-de-Exército;
- um ex-comandante do Exército;
- um General-de-Exército,ainda na ativa, mas que passou para a  reserva em março;
- o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, autor do livro A Verdade Sufocada- a História que a esquerda não quer que o Brasil conheça;e
- um coronel morto em dezembro  nas circunstâncias descritas abaixo :

 
"Coronel do Exército foi morto por tiro intencional de assaltantes
Plantão | Publicada em 13/12/2008  - Globo.com
Antônio Werneck e Flávia Monteiro
RIO- Ao contrário do que informara policiais militares, o coronel do Exército Cid Canuzzo Ferreira, de 54 anos, não morreu em conseqüência de uma bala perdida. Ele foi atingido depois de um tiro intencional disparado da arma de um dos dois assaltantes em frente ao São Conrado Fashion Mall, na Zona Sul da cidade. A informação foi dada pelos parentes do coronel na manhã deste sábado. Cid ainda chegou a ser levado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
Segundo seus parentes, o coronel passava na noite de sexta-feira pela Auto-Estrada Lagoa-Barra, em São Conrado, quando percebeu que dois assaltantes eram perseguidos por agentes do Setor de Inteligência
da Secretaria de Segurança e tentou, com seu carro, impedir a fuga. Teria sido neste momento que um dos assaltantes atirou.
Os ladrões estavam em uma moto e haviam assaltado uma empresária que passava de carro. Em seguida, teriam tentado assaltar o carro onde estavam os agentes, que reagiram. Além do coronel, os dois assaltantes também foram baleados. Um deles, Alexandre da Cruz Paula, de 28 anos, morreu no local. Já o comparsa Marcos Paulo Lima Alves, de 33 anos, foi socorrido para o Hospital Miguel Couto. Com os assaltantes, foi apreendida uma pistola 9 milímetros. A arma e a moto em que os bandidos usavam foram levadas para a 14ª DP (Leblon) do Leblon, onde o caso foi registrado. "
 
Observação : O pedido foi feito ao Ministério da  Fazenda em 18/01/2010, três dias depois do General Maynard lançar uma nota comentado  a criação da Comissão da Verdade. e  45 dias depois do assassinato do coronel
Comentários   
#3 t-shirt 28-03-2016 15:26
I was recommendd this website by my cousin. I amm not sure whether this post is written by him as no one else know such detailed about my difficulty.
You are incredible! Thanks!

Feel free to surf to mmy homepage - t-shirt: http://66.232.142.47/info/guin_detail.php?a%5B%5D=%3Ca%20href%3Dhttp%3A%2F%2Fcye999.com%2Fcomment%2Fhtml%2Findex.php%3Fpage%3D1%26id%3D17650%3Et-shirt%3C%2Fa%3E
#2 joseita 12-07-2013 10:59
Sra Carolina
O motivo pelo qual o nome do seu pai foi incluído na mesma relação dos outros militares, nós não sabemos , por este motivo a interrogação no título da matéria, publicada no Jornal de Brasília e nós apenas a reproduzimos. Como não sabíamos os motivos de um pedido de quebra de sigilo na Receita Federal,para seis oficiais e como fomos informados que o seu pai havia sido morto em um assalto, pesquisamos e reproduzimos o que encontramos no Globo sobre ele.
O importante é que o resultado da pesquisa, como já esperávamos foi NADA CONSTA.
Para melhor entender a matéria entre no
link
http://www.averdadesufocada.com/index.php/revanchismo-especial-98/3245-1105-gsi-chefe-de-gabinete-pediu-violao-de-sigilo
#1 Carolina Canuso 12-07-2013 01:19
Pf entrem em contato, gostaria de entender o pq da historia do meu pai estar listada aqui. Att, Carolina Canuso Ferreira
Adicionar comentário