Manifestantes saíram neste sábado, novamente, às ruas de Brasília para protestar contra a permanência do governador José Roberto Arruda (sem partido), suspeito de comandar um suposto esquema de pagamento regular de propina para deputados de sua base aliada na Câmara Legislativa, secretários e assessores.
Cerca de 300 carros iniciaram uma carreata pedindo a saída de Arruda, que na quinta-feira se desfiliou do DEM, do vice-governador, Paulo Octávio e dos parlamentares envolvidos no caso.

Texto completo

 

Organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e por partidos de oposição ao governo Arruda, entre eles PT, PCB e PSOL , a carreata terá um percurso de cerca de 50 quilômetros. Ela saiu da parte central da cidade e passará por cidades satélites do Distrito Federal até chegar a residência oficial do governo do DF, em Águas Claras.
"É mais uma manifestação contra a corrupção e pela moralização. Exigimos o afastamento imediato do governador e de todos os envolvidos", afirmou o presidente do PT local, Chico Vigilante.
Ele acredita que o pedido de desfiliação de Arruda do DEM não enfraquece os processos de impeachment do governador já protocolados na Câmara Legislativa. "Foi uma
  
  Chico Vigilante - Pres do PT
manobra. Mas a desfiliação não altera os ânimos. Estão tentando preservar a figura do Paulo Octávio, mas eles são irmãos siameses. Todos os envolvidos têm que ser afastados", disse Vigilante.
A carreata é acompanhada por dois trios elétricos, ao som de jingles como "Arruda, cadê você? O povo quer te prender".
De acordo com os organizadores, a Polícia Militar foi avisada sobre a manifestação e deve acompanhar o trajeto da carreata. A expectativa é que o protesto seja pacífico, ao contrário da última terça-feira, quando a PM entrou em conflito com manifestantes, com uso da cavalaria e bombas de efeito moral.
Agência Brasil
 
Adicionar comentário