Governo de facto declara toque de recolher - Foto: Reuters - Efe

Manuel Zelaya saúda apoiadores em frente è embaixada brasileira em Tegucigalpa.
TEGUCIGALPA - O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse nesta segunda-feira, 21, que ninguém voltará a tirá-lo de seu país, e que as palavras de ordem após seu retorno continuam sendo "pátria, restituição ou morte""A partir de agora, ninguém voltará a nos tirar daqui. Por isso, nossa posição é pátria, restituição ou morte", enfatizou Zelaya diante dos milhares de simpatizantes que permanecem em frente à embaixada do Brasil em Tegucigalpa, onde o líder deposto está abrigado.  Logo após o retorno de Zelaya, o governo de fato, presidido por Roberto Micheletti, decretou toque de recolher em todo o país, com início às 16h e término às 7h de terça-feira.  A medida foi anunciada pelo rádio e televisão. Em um breve comunicado, o governo Micheletti indicou que o toque de recolher é "devido a eventos ocorridos nas últimas horas", com o objetivo de "proteger a tranquilidade, a vida e os bens das pessoas."
Zelaya, que foi derrubado pelos militares em 28 de junho passado e enviado à Costa Rica, chegou nesta segunda-feira de maneira surpreendente a Tegucigalpa.
Ainda não está claro como o líder deposto conseguiu entrar no país.

http://resistenciademocraticabr.blogspot.com/

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar