Estadão.com.br - Agência Brasil
Virgílio reconheceu que autorizou o funcionário a fazer um curso no exterior recebendo o salário do Senado

BRASÍLIA - O senador Arthur Virgílio Neto (AM), líder do PSDB, anunciou nesta quarta-feira, 1, que vai devolver aos cofres do Senado os recursos pagos ao ex-funcionário de seu gabinete, Carlos Alberto de Andrade Nina Neto. O parlamentar reconheceu que autorizou o funcionário a fazer um curso no exterior recebendo o salário do Senado. Ele apresentou requerimento à Mesa Diretora para que a administração faça os cálculos de quanto Carlos Alberto de Andrade recebeu do Senado enquanto esteve no exterior. "A minha esposa vai vender parte dos seus bens para quitar esta dívida", anunciou Arthur Virgílio da tribuna.
 
 

Outro requerimento do líder tucano é dirigido a comissão que investiga os atos de Agaciel Maia. Arthur Virgílio solicita a quebra do sigilo bancário do ex-diretor geral para que se apure se Agaciel Maia repassava recursos a servidores ou parlamentares.O próprio Arthur Virgílio recebeu ajuda do ex-diretor durante uma viagem particular que fez ao exterior. Hoje, ele voltou a tratar do assunto e reafirmou que não sabia que os recursos encaminhados a ele pelo assessor Carlos Romero Nina partiram de Agaciel Maia.

O senador acrescentou que a dívida, de cerca de 3,3 mil euros, segundo ele, foi ressarcida com a devolução do imposto de renda que recebeu da Receita Federal. De acordo com ele, um funcionário da agência do Banco do Brasil, no Senado, teria dito que o ex-diretor-geral repassava recursos a servidores e senadores com frequência.

 

Comments powered by CComment