O Globo
BELO HORIZONTE. A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça aprovou, durante caravana na cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, 32 dos 33 requerimentos de indenização feitos por pessoas que foram perseguidas durante o período militar. Entre os casos aprovados está o do médico Afrânio Azevedo, responsável pela cirurgia plástica no rosto do guerrilheiro Carlos Lamarca e hoje secretário de Educação de Uberlândia. Azevedo disse que operou Lamarca sem saber quem ele era, mas sofreu retaliações. Segundo o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abraão, além de ficar 73 dias preso, durante cinco anos ele não conseguiu emprego em hospitais. Abraão informou que outro caso de indenizações concedidas foi o de uma família inteira. São quatro integrantes: os pais foram perseguidos porque os filhos eram militantes do Partido Comunista. Segunda-feira, a caravana estará em Aracaju.

Comments powered by CComment