A sinceridade da criminalidade e a surdez dos honestos
Jornal da Cidade - 23/05/2020 às 12:51
O ídolo máximo da criminalidade esquerdista, o Molusco, está de volta:
"Ainda bem que a natureza criou esse monstro chamado Coronavírus".
Mas outro ídolo dos Orcs, o Invasor de Propriedades Alheias, já havia sido tão claro quanto o verme mor:
"Manter o isolamento social contra Bolsonaro".
Antes desses dois ídolos, um outro representante do mal vermelho, aquele do "crack em doses seguras", também já tinha sido claro demais:
"Precisamos destruir Bolsonaro".
E antes ainda, o eterno espião a serviço de Cuba expôs a essência do trabalho de todos os Orcs:
"Nós vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar uma eleição".
Ele também acrescentou que era "questão de tempo" essa tomada de poder.

Obseração do site www.averdadesufocada.com : A editoria do site vem postando sobre estas frases a muito tempo!



Questão de tempo... Ou seja, há um projeto em andamento de destruição da economia e aceleração da corrupção das instituições para o retorno da criminalidade ao poder. Nada é gratuito ou sem planejamento. O que parece gratuito são apenas desdobramentos de ações planejadas.

Lula, Boulos, Freixo e Dirceu - para ficar apenas nas lideranças mais conhecidas - declaram isso sem meias palavras e para quem quiser ouvir, pois as frases citadas acima rodaram o Brasil.

Mas quem ouve com a atenção necessária? Os honestos? Certeza que não. Pois se ouvissem, a criminalidade não estaria nadando de braçadas e vivendo como reis.

A resposta: quem ouve com atenção as ordens da criminalidade são seus próprios seguidores: os isentões, os liberais e os esquerdistas assumidos. São todos fiéis ao crime, e obedecem sem titubear.

É por isso que o discurso progressista é incrivelmente uniforme, porque ordem dada é ordem cumprida.

Por exemplo, foi dada a ordem de combate à Cloroquina? Sim. Então, em pouco tempo, todos os membros da criminalidade esquerdista - desde um isentão das redes até médicos, jornalistas e militantes de base - , estavam usando as mesmas palavras e argumentos para afastar a cura do cidadão e prolongar o cárcere privado.

Até que ponto a surdez dos honestos é inexistente, sendo apenas uma desculpa para não assumir o medo que sentem dos Orcs, é algo ainda a ser definido.

Marco Frenette.

da Redação



Adicionar comentário