O grande presente de Natal do governo para a sociedade brasileira

Quem tiver curiosidade, acesse o decreto no link que posto abaixo (3) para conferir os cargos que foram extintos: não tem como não se surpreender ao perceber a quantidade de funções ociosas e desnecessárias na administração pública, que infelizmente é a realidade do Brasil.

Nós, aqui na Direita, temos que apoiar e prestigiar uma medida dessa, que visa ao enxugamento da máquina pública e à redução do tamanho do Estado (ou melhor, do Executivo), e lhe dar a mais ampla publicidade que conseguirmos.

Foi um verdadeiro “presente de Natal” do Presidente da República à sociedade, que injustamente está meio que passando despercebido (com exceção das hostes esquerdistas, que babam de ódio perante a medida).

Já imaginaram quanto de dinheiro público será economizado, com a extinção desses cargos ociosos e desnecessários? Já imaginaram o tamanho do desaparelhamento dos órgãos, considerando que várias das funções eram utilizadas por militantes de esquerda para ativismo ideológico, em nítido desvio de função?

Com efeito, o Presidente Jair Bolsonaro disse que governaria pelo exemplo, o que de fato está acontecendo. Mais uma promessa que ele vem cumprindo à risca: falou que iria economizar dinheiro do pagador de impostos, e reduzir o tamando do Estado, e está fazendo isso.

A única coisa que falta acontecer é a frase “a palavra convence, o exemplo arrasta” surtir efeito, para que o Legislativo e o Judiciário também comecem a tomar medidas de austeridade ou que parem de desperdiçar dinheiro público, ao se sentirem constrangidos de verem o Executivo se esforçando para sanar as despesas e reduzir o tamanho da sua estrutura enquanto eles permanecem inertes, lambuzando-se na mesma vida nababesca de todo o sempre.

Mas acho que estou querendo demais... O STF jamais deixará de fazer licitações para compra de lagostas e vinhos, e o Congresso nunca reduzirá o seu pessoal lá, que ganha salário de marajá para não fazer nada.

Na verdade, se o Judiciário (STF) não se intrometer no Governo dessa vez, e não declarar “inconstitucional” o exercício do Poder pelo Presidente da República, acatando alguma medida judicial impetrada por partidos de esquerda, que “lutam pelos direitos dos trabalhadores e pelo social”, já será uma grande vitória da sociedade.

Se eu tivesse que resumir em uma frase os resultados do “Novo Brasil” e a velocidade das mudanças implementadas pelo Governo Bolsonaro, como resposta a quem está impaciente ou ansioso com o porvir, ela seria assim:

— Um passo de cada vez. Temos um longo caminho pela frente. Não estamos em uma corrida de 100 metros, na qual a explosão da largada é o mais importante, mas sim em uma maratona, onde a resistência para percorrer longas distâncias é o que vale.

Adicionar comentário