Israel - Ataque com Escavadeiras, 3º em 8 Meses
Hamas chama ataque com escavadeira de vingança;
liderança palestina diz ser acidente

O movimento islâmico Hamas afirmou nesta quinta-feira que o ataque com uma escavadeira contra uma viatura e um ônibus em Jerusalém, que deixou dois policiais feridos, foi uma "resposta natural" à decisão de Israel de demolir 88 casas de palestinos em um bairro da região. A Autoridade Nacional Palestina (ANP), que controla a Cisjordânia, afirmou que o ocorrido foi apenas um "acidente de trânsito".

Texto completo

Um palestino identificado pela polícia israelense como Mar'i al Rdaidah avançou com uma escavadeira amarela sobre uma viatura com dois policiais na cidade de Jerusalém. O motorista avançou contra uma viatura, feriu dois policiais e avançava sobre um ônibus quando foi morto a tiros.

O policial responsável, Nisso Shachar, disse que a escavadeira atingiu o carro policial. O motorista então levantou o veículo com a pá e tentou esmagá-lo.

O porta-voz do Hamas, grupo que controla a faixa de Gaza, afirmou que o grupo agradece a "operação" em Jerusalém. "O povo palestino tem o direito de se defender e nós enfatizamos que defenderemos nossa casa", disse Fawzi Barhoum.

Riyad al-Malki, ministro de Informação da ANP, que controla a Cisjordânia, afirmou que o ocorrido foi um "acidente de trânsito".

O porta-voz da polícia, Micky Rosenfeld, afirmou que Rdaidah, 26, é de Jerusalém Oriental. Segundo Rosenfeld, ele era um trabalhador da área de construção. Moradores palestinos da região disseram que o motorista e sua família viviam na região.

Rosenfeld disse não saber se o palestino fazia parte de algum grupo radical. Contudo, a polícia suspeita da influência de grupos islâmicos extremistas, já que havia um Alcorão, livro sagrado muçulmano, dentro da escavadeira.

A prefeitura anunciou recentemente que pretende derrubar 88 casas no bairro de Silwan, em Jerusalém Oriental, uma medida que foi duramente criticada pelos líderes palestinos e pela comunidade internacional. Cerca de 1.500 famílias vivem no local e receberam ordem de despejo nos últimos dias sob a acusação de construírem moradias irregulares.

Israel diz que mais de 80% das casas a serem demolidas foram construídas sem autorização. Os palestinos dizem que é quase impossível obter tais autorizações. O Estado israelense considera que Jerusalém é sua capital "eterna e indivisível". Israel conquistou em 1967 a parte oriental da cidade, que tem maioria árabe e é reivindicada pelos palestinos como capital de seu eventual Estado. A comunidade internacional jamais reconheceu a anexação de Jerusalém Oriental por Israel.

O ataque ocorreu enquanto Israel se prepara para celebrar o Purim --festa judaica em que as escolas são fechadas e crianças e adultos saem às ruas disfarçados.

Segundo o prefeito Nir Barkat, o ataque não vai parar o carnaval judaico na próxima semana. "Temos que voltar a nossa rotina o quanto antes para mostrar para terroristas que eles não vão acabar com o nosso feriado", disse.

Semelhança

Este foi o terceiro caso de ataque de escavadeira em Jerusalém nos últimos oito meses. Em 22 de julho de 2008, um palestino ao volante de uma máquina do mesmo tipo matou três israelenses e feriu outros 45 antes de ser morto. Três semanas depois, o condutor de uma escavadeira tentou fazer o mesmo e feriu cinco pessoas antes de ser morto.

[email protected]
Terror Inusitado Palestino mata três e fere 45 com escavadeira em Jerusalém
http://www.defesanet.com.br/blog/2008/07/terror-inusitado-palestino-mata-trs-e
Adicionar comentário