Suástica em corpo de jovem foi "automutilação", diz polícia
IstoÉ
Para Polícia Civil, há indícios de autolesão ou de que as marcas tenham sido feitos de forma consentida
Filipe Strazzer
24 OUT 2018 10h59 atualizado às 11h19
PORTO ALEGRE - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul concluiu que os cortes em forma de suástica feitos em uma jovem que disse ter sido atacada na rua, há duas semanas, em Porto Alegre, é um caso de "autolesão". Segundo o delegado Paulo Sérgio Jardim, há indícios de automutilação ou de que tenham sido feitos de forma consentida. A jovem será indiciada por falso testemunho.

Polícia civil do RS reabre investigação de caso de ataque com suástica

Jovem marcada com suástica sofreu homofobia, diz polícia

O que se sabe sobre o caso da suástica marcada em mulher de Porto Alegre

O laudo técnico da Polícia Civil conclui que "pode se afirmar com convicção que as lesões produzidas na vítima não são compatíveis com as que seriam esperadas, na hipótese de ter havido efetiva resistência da parte dela à ação de um agente agressor".


Logo após o primeiro turno das eleições, a jovem de 19 anos, moradora de Porto Alegre, registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil por lesão corporal na noite de segunda-feira, 8. Segundo o relato feito aos policiais, ela teria sido abordada por três homens e agredida por possuir adesivos LGBT colados na mochila.

De acordo com a versão contada à época pela jovem, após diversas ofensas e ameaças, um trio a rendeu e marcou o corpo dela com a marca nazista. Quatro dias depois, ela teria desistido da ação "por questões emocionais".

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar