MISTÉRIO...
joseita Brilhante Ustra
Li no Antagonista o seguinte:
“Ofício da Polícia Legislativa, obtido com exclusividade por O Antagonista, informa a existência de dois registros de entrada de Adélio Bispo de Oliveira na Câmara dos Deputados, no dia 6 de setembro – data do atentado contra Jair Bolsonaro.
O documento oficial foi enviado ao terceiro-secretário, deputado JHC, que atendeu à solicitação de O Antagonista por todos os registros de visitação do criminoso.
“Constatou-se a existência de mais dois registros de entrada referentes à pessoa do Senhor Adélio, ambos datados do dia 6 de setembro de 2018, dia em que fora efetuada sua prisão no estado de Minas Gerais em decorrência do atentado ao deputado Bolsonaro”, escreve o diretor Paul Pierre Deeter”...
 Imaginaram um plano perfeito com tudo preparado para qualquer eventualidade.


 1-  Adélio depois do assassinato poderia ser morto e não deixar rastro para não ser identificado.
 2- Poderia também fugir e não ser identificado  no meio daquela multidão. Para isso um grupo grande estava em volta dele e quase conseguiu que ele sumisse no meio daquele mar de gente. Se tivesse conseguido e o tivessem identificado,  o álibi já estava preparado – os dois registros da entrada de Adélio estavam feitos na Câmara dos Deputados no mesmo dia do atentado…
3- Depois de apanhar muito, foi preso , mas quase tudo estava preparado , três advogados , dos melhores chegaram de avião particular para acompanhar a oitiva de Adélio.
4- Os prováveis mandantes imaginaram  que o crime fora bem planejado. Só que esqueceram de avisar ao Adélio que não deixasse na pensão, onde já estava há quinze dias, os 4 celulares de última geração, segundo a mídia, mais um note book e um cartão da Caixa , onde tinha sido depositado em cash R$ 350.000 . O plano perfeito foi sendo desmontado .
5 – Hoje a Câmara já deu uma explicação muito pouco convincente para quem conhece as exigências para se entrar nos prédios do Congresso Nacional:

Constatação foi fruto de um erro de um recepcionista terceirizado responsável pelo controle de entrada no Congresso
Mariana Haubert - 19/09/2018
A Polícia Legislativa da Câmara concluiu nesta quarta-feira, 19, que os registros de que Adélio Bispo de Oliveira, o autor da facada no deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), esteve na Casa no mesmo dia do atentado, foram fruto de um erro de um recepcionista terceirizado responsável pelo controle de entrada no Congresso.”

 Como esse engano se a pessoa tem que apresentar a carteira de identidade para entrar nos prédios?.
 Será que alguém entrou com a carteira de Adélio ou uma carteira falsificada?
Pobre funcionário terceirizado , vai levar a culpa do terrível engano?

Quando essa confusão será revelada? Quem pagou aos advogados? Como um homem bem articulado ao falar, está sendo submetido a umexame de sanidade mental?

MISTÉRIO...

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar