Protagonismo do STF
Mara montezuma  Assaf
Dizer que os ministros do Supremo Tribunal Federal não tomam decisões políticas é querer tapar o sol com peneira ou então muita ingenuidade, que me perdoe a ministra Carmen Lucia.
Como explicar a proibição da venda do controle de estatais sem autorização do Congresso determinada pelo ministro Ricardo Lewandowski ? E a atitude de Dias Toffoli, livrando José Dirceu da obrigação do uso de tornozeleiras, sem nem mesmo ser estimulado por um pedido da defesa do réu, como se ainda advogasse para ele e o PT ?

O que nós podemos esperar quando setembro vier e a presidência do STF passar de Carmen Lucia para Toffoli, justamente num convulsionado ano eleitoral e quando a prisão de Lula está sendo motivo para movimentações jurídicas sem fim por parte da equipe de defesa do ex-presidente, correndo atrás de sua liberdade?

Afinal, Toffoli , ex-advogado do Partido dos Trabalhadores, presidirá o STF com toda a falta de isenção que já vem demonstrando nas suas decisões e já contando com o apoio manifestado por Marco Aurélio Mello , que explicitou "confiar no taco" de Dias Toffoli!

Convenhamos, nunca em nossa história política o STF desempenhou um protagonismo como hoje, muito mais que os poderes Legislativo e Executivo juntos!

Não conhecemos os nomes de nossos ministros de governo, mas o nome dos 11 ministros do elenco do STF estão na ponta de nossa língua!

A minha conclusão é simples: estamos sob uma ditadura do poder Judiciário onde alguns de seus membros se arvoram no direito de decisões monocráticas que, no geral, vão de encontro à sensibilidade e a vontade do povo, sem que possamos reagir de forma alguma.

Isso não se vê em país democrático algum ! Estamos num Estado de exceção ?

O que podemos esperar do futuro com esse Supremo Tribunal Federal?

Mara Montezuma Assaf

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar