Tornozeleiras
O mundo está sob a ameaça de dois cortes de cabelo. Quem é capaz de usar o cabelo como o Kim Jong-un é capaz de tudo. Quem usa o cabelo como Trump, também

Luiz Fernando Verissimo - 09/07/2017

Se você se recusa a viver num país em que faltam tornozeleiras eletrônicas, tantos são os corruptos e os corruptores em prisão domiciliar, vai ter que se acostumar: também faltam passaportes para a fuga.
A demanda por tornozeleiras eletrônicas excede a oferta, o que é quase a definição do Brasil atual numa frase.
Pode-se imaginar algumas consequências da escassez de tornozeleiras. A tornozeleira compartilhada, por exemplo. Dois ou mais acusados em liberdade monitorada podem usar a mesma em dias alternados.

A Polícia Federal será obrigada a recorrer a fabricantes clandestinos de tornozeleiras, criando um mercado paralelo, e fatalmente surgirão suspeitas de propinas pagas para que a escolha seja de um fornecedor, e não de outro.
 
E não demorará para aparecerem anúncios, nos classificados, de especialistas em abrir tornozeleiras e colocá-las no cachorro, para confundir os monitores da Polícia Federal.
 
Triste o país que precisa de heróis, disse o Bertolt Brecht. Triste o país que não tem tornozeleiras que cheguem, digo eu.                                                               - - - x - - -
 
Penteados
 
O mundo está sob a ameaça de dois cortes de cabelo.
 
Quem é capaz de usar o cabelo como o Kim Jong-un, ditador da Coreia do Norte, usa, é capaz de tudo.
 
Quem usa o cabelo como o Trump, também.
 
Se não fosse o corte do cabelo de Kim Jong-un, seus foguetes não assustariam tanto.
 
Se não fosse o corte de cabelo do Trump, o perigo de uma intervenção na Coreia do Norte seria menor.
 
A combinação do corte de cabelo de Kim Jong-un com mísseis de longo alcance é aterrorizadora.
 
Com qualquer outro penteado, Kim Jong-un seria um homem com quem se pode conversar. Com qualquer outro penteado, Kim Jong-un seria receptivo aos apelos do bom senso. Mas o penteado de Kim Jong-un é uma declaração ao mundo.
 
Todas as manhãs, na frente do espelho, Kim Jon-un examina o próprio cabelo e diz: “Estão pensando o quê? Só porque sou baixinho e rechonchudinho, acham que podem me deter? Quem usa um penteado como o meu pode ser detido? Pensam que eu não sou louco o bastante? Pois vão ver”.
 
Já devem ter avisado ao Kim Jong-un sobre o penteado do Trump. Kim Jong-un já deve saber das loucuras do Trump no governo dos Estados Unidos.
 
Resta saber se, com aquele penteado, Trump também é louco o bastante.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Anti-spam: complete the taskJoomla CAPTCHA
You didn't specify KeyCAPTCHA plugin settings in your Joomla backend.