01/07/68 - Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen - Major do Exército Alemão- RJ
Azambuja
Morto no Rio de Janeiro onde fazia o Curso da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Assassinado na rua Engenheiro Duarte, Gávea, por ter sido confundido com o major boliviano Gary Prado, suposto matador de Che Guevara, que também cursava a mesma escola.
Autores: Severino Viana Callou, João Lucas Alves e um terceiro não identificado, todos da organização terrorista denominada COLINA- Comando de Libertação Nacional. 
 O terceiro, dado como não identificado é AMILCAR BAIARDI. João Lucas Alves, um dos três assassinos, residia, na época, num aparelho em BH juntamente com Dilma Vana Roussef, também militante do COLINA. Simples, assim...
        Os dias eram assim , durante a guerrilha que essas organizações terroristas tentavam derrubar o regime militar para implantar uma ditadura do proletariado
Obs do site www.averdadesufocada.com :
João Lucas Alves era um dos instrutores de tiro de Dilma Roussef
 
Amilcar Baiardi, profundo  conhecedor das táticas de guerrilha rural, ex-guerrilheiro foi o responsável por redigir o comunicado oficial do COLINA sobre a morte de Gary Prado que seria distribuído à imprensa. Veio da Bahia especialmente para isso.
 
Escrevia o comunicado do  “justiçamento”, enquanto  esperava os companheiros  por cerca de uma hora, em um “ aparelho”, em Botafogo- RJ,  para onde fora levado vendado.  
Ao chegarem, certos de que a missão tinha sido cumprida, abriram a pasta e verificando os  documentos  do “justiçado”, constataram o terrível engano. Gary Prado fora salvo por um levantamento mal feito.
 
Os assassinos desconheciam os uniformes, confundiram os oficiais. Haviam assassinado em lugar de Gary Prado, boliviano, o major alemão Edward Ernest Tito Otto Maximilian von Westernhagen, colega de Gary Prado , no curso da Escola  de Estado Maior.
 
Baiardi  destruiu o rascunho da carta e os quatro firmaram um pacto de silêncio que durou 20 anos.

 

Segundo Lucas Pretti , no Estadão .com.br de 09 de outubro de 2007, em entrevista, Amilcar Baiardi –  neste ano  - , professor da Universidade federal do Recôncavo da Bahia ( UFRB), lamenta não ter sido o vingador da morte de Che Guevara. Quarenta anos depois a frustração o persegue. “ Seria muito reconfortante ter matado  Gary”, teria dito Amilcar Baiardi.
Estava desfeito o mistério do assassinato do major alemão que para as autoridades policiais da época , até 1988, o crime teria sido cometido por assaltantes.

 

OS DIAS ERAM ASSIM, durante a luta armada  das décadas de 60 e 70, quando essas organizações terroristas tentavam derrubar o regime militar para implantar uma ditadura do proletariado
Fonte : A verdade Sufocada – A História que a esquerda não quer que o Brasil Conheça  - Autor Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra – 13ª ed. Páginas 212 a 218

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar



Anti-spam: complete the taskJoomla CAPTCHA
You didn't specify KeyCAPTCHA plugin settings in your Joomla backend.