Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 3156

Assassinados pela intentona
Gen Bda R1 Paulo Chagas        
        Planejada, aprovada, apoiada e monitorada por Moscou, a insidiosa trama pretendia trazer para o Brasil o modelo de revolução idealizado pela Internacional Comunista para países  considerados semicoloniais, como ficou recentemente comprovado após a abertura dos arquivos da antiga União Soviética. Desencadeada em Natal no dia 23 de novembro, deixou logo claro o aspecto pérfido de que se revestiam suas ações, causando imediato sentimento de repulsa na população, aversa ao comunismo.
 
Texto completo
 
 

 A traição de falsos companheiros, suas revoltantes atrocidades e o assassínio frio e calculado de camaradas que até a véspera neles confiavam calaram fundo não só na alma militar, mas no coração de todo o povo brasileiro que de imediato repudiou e condenou o movimento.

 

          Da mesma forma que combateram o tirânico totalitarismo de direita, representado pelo nazifascismo na 2a Guerra Mundial, os soldados brasileiros, por três vezes livraram a Pátria dos horrores da ditadura comunista.

 

         Recordar a chamada "Intentona de 1935" tem por objetivo não deixar esquecer que todas as organizações ou movimentos radicais de extrema esquerda que atuaram no Brasil pretenderam, de uma forma ou de outra, implantar aqui regimes totalitários nos moldes da União Soviética, da China, da Albânia ou de Cuba, suas fontes de inspiração, tendo, na grande maioria, optado pela violência da guerra não declarada, não convencional, ilimitada e covarde para fazer valer seus argumentos e impor seus objetivos.

 

 Os crimes nazistas, denunciados de forma veemente e consecutiva a sua descoberta, induziram ao repúdio definitivo às idéias e aos métodos empregados por Hitler e seus seguidores.

 

O mesmo não tem ocorrido com os crimes das ditaduras de esquerda, pois o patrulhamento ideológico tem se encarregado eficientemente de encobrí-los ou torná-los amenos para a opinião pública.

        

A história, infelizmente, tem sido contada de forma facciosa e distorcida, transformando heróis em bandidos e vice-versa. Aqueles que quiseram destruir a democracia aparecem como os merecedores de indenizações legítimas, enquanto que os que quiseram defendê-la são apresentados unicamente como cruéis protagonistas da repressão.

 

Os inconseqüentes idealistas do pensamento e da verdade únicos que conduziram boa parcela de uma geração a acreditar na utopia comunista, mesmo derrotados no campo da luta e das idéias, permanecem teimosamente, de forma hipócrita e sub-reptícia, a pregar a grande mentira que mascara seu passado.

 

         Vale ressaltar que foram e continuarão a ser derrotados enquanto a democracia for anseio e patrimônio do povo desta terra.

 

         É, portanto, oportuno e necessário reverenciar e homenagear os verdadeiros heróis da liberdade, os que deram ou arriscaram suas vidas, reagindo à traição de fanáticos a serviço do comunismo internacional.   

 

 Como membros de uma sociedade livre e soberana é nosso dever refletir sobre a verdade histórica e avaliar recentes vitórias construídas em nome da liberdade responsável de escolher o que nos convém. É tempo de ponderar sobre conquistas que temos obrigação de manter, consolidar e a aperfeiçoar sem permitir ou aceitar retrocessos em qualquer direção!

 

Homenagem do site aos mortos na Intentona comunista

 Monumento aos heróis que tombaram na covarde tentativa de implantar o o comunismo no Brasil. Praça General Tibúrcio,  Praia Vermelha / RJ. Este monumento ocupa hoje o antigo local onde estava sediado o 3º RI, que, sublevado, foi completamente destruído.

Poucos conhecem seus nomes. Eles morreram na madrugada de 27 de novembro de 1935. Não em combate, mas covardemente assassinados. Alguns dormindo...
 
01. Abdiel Ribeiro dos Santos - 3º Sargento
02. Alberto Bernardino de Aragão - 2º Cabo
03. Armando de Souza Mello - Major
04. Benedicto Lopes Bragança - Capitão
05. Clodoaldo Ursulano - 2º Cabo
06. Coriolano Ferreira Santiago - 3º Sargento
07. Danilo Paladini - Capitão
08. Fidelis Batista de Aguiar - 2º Cabo
09. Francisco Alves da Rocha - 2º Cabo
10. Geraldo de Oliveira - Capitão
11. Jaime Pantaleão de Moraes - 2º Sgt
12. João de Deus Araújo - Soldado
13. João Ribeiro Pinheiro - Major
14. José Bernardo Rosa - 2º Sargento
15. José Hermito de Sá - 2º Cabo
16. José Mário Cavalcanti - Soldado
17. José Menezes Filho - Soldado
18. José Sampaio Xavier - 1º Tenente
19. Lino Vitor dos Santos - Soldado
20. Luiz Augusto Pereira - 1º Cabo
21. Luiz Gonzaga - Soldado
22. Manoel Biré de Agrella - 2º Cabo
23. Misael Mendonça -T.Coronel
24. Orlando Henrique - Soldado
25. Pedro Maria Netto - 2º Cabo
26. Péricles Leal Bezerra - Soldado
27. Walter de Souza e Silva - Soldado
28. Wilson França - Soldado
29-Lauro Leão de Santa Rosa - 2º Ten Res ( convocado)
30- Gregório Soares - 3º Sargento
31- Carlos Botelho -1º  Cabo
32-  Manoel Alves da Silva - 2º Cabo
33- Álvaro de Souza Pereira - soldado
34 - Genaro Pedro Lima - Soldado