Não se deixe doutrinar
Por Joseita Brilhante Ustra.
Trecho do livro A Verdade Sufocada- A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça - 13ª ediçao - autor Carlos Alberto Brihante Ustra - Página 270.
OS DIAS ERAM ASSIM nas décadas  de 50 e 60 : assassinatos,  assaltos a bancos, atentados a bombas, sequestros, mas a série que a Rede Globo está apresentando , omite os crimes dos membros das organizações subversivos terroristas que se preparavam para implantar uma ditadura do proletariado marxista leninista, no Brasil, usando a motivação de que a guerrilha era para lutar contra o regime militar..
As jovens autoras, que não viveram àquela época, insistem em doutrinar a juventude, mostrando as Forças Armadas e simpatizantes civis como pessoas  truculentas que torturam , prendem, matam , sequestram, estupram ' estudantes inocentes" e perseguem seus familiares e os colaboradores das organizações terroristas, além de mostrá-los  como "heróis que lutavam pela liberdade"

{jcomments on}.Vejam um dos assassinatos em 09/05/69. Até o início dos anos 1970 a situação era preocupante, pois os subversivo-terroristas, assaltaramaproximadamente 300 bancos e alguns carros fortes de empresas pagadoras: encaminharam 300 militantespara cursos de guerrilha em Cuba, na China e na União Soviética: sabotaramlinhas férreas: assaltaram quartéis para oubar armas e matar miliyatares:; sequestraram três diplomatas; " justiçaram" três militares estrangeiros e um tenente da Polícia Miltar de São paulo:Roubaram grande quantidade de explosivos em pedreiras: explodiram dezenas de bombas - entre elas  uma no Aero porto Guararapes que matou duas pessoas e feriu 15 pessoas, inclusive uma criança.Uma  Kombi  carregada de explosivos foi dirigida contra o Quartel General do Exército em São Paulo, matando um soldado de 18 anos e ferindo 5 pessoas. Várias rádiopatrulhas foram queimadas, matando os motoristas. O número de mortos da insesatez dessa guerrilha urbana já era grande - 66 pessoas, sendo 20 policiais militares, 7 militares, 7 policiais civis , 10 guardas de segurança e 22 civis  de profissões diversas.

Os dias eram violentos mas a violência vinha pelas emboscadas e ataques inesperados destas organizações comunistas.

09/05/69 – ORLANDO PINTO DA SILVA  (Guarda Civil – SP)

Morto com dois tiros, um na nuca e outro na testa, disparados por Carlos Lamarca, durante assalto ao Banco Itaú, na rua Piratininga, Bairro da Mooca. Na ocasião também foi esfaqueado o gerente do Banco, Norberto Draconetti. 
Organização responsável por esse assalto: Vanguarda Popular Revolucionária (VPR).  
?(transcrito de averdadesufocada.com)  

Comments powered by CComment