Caros amigos e amigas,
Gen Bda R1 Rocha Paiva
Esta é a sétima de uma série de mensagens com respostas a interpelações de esquerdistas quanto ao regime militar, luta armada, anistia e Comissão (da Omissão) da Verdade, fruto de vários debates e entrevistas em que participei.
7. A lei de Anistia não poderia contemplar torturadores, pois tortura é crime comum e não crime político.
É a hipocrisia dos esquerdistas revanchistas, adeptos da mentira para justificar seus fins. Veja o que diz o Art. 1º; § 1º da Lei 6.683/79:


"É concedida anistia política a todos quantos cometeram crimes políticos [-] ou conexos com estes [-]. § 1º - Consideram-se conexos, para efeito deste artigo, os crimes de qualquer natureza relacionados com crimes políticos ou praticados por motivação política".

 A Lei anistiou a todosos que cometeram crimes políticos e os conexos. Considerou conexos os crimes de qualquer natureza relacionados com crimes políticos ou praticados por motivação política. Portanto, o limite era a motivação política do crime, inclusive a tortura, e não a natureza política do crime.

Anistia irrestrita era condição para a redemocratização sem retrocessos. Sepúlveda Pertence, um dos representantes da OAB na elaboração da lei disse: “Nenhuma voz se levantou para por em dúvida a interpretação de que o art 1º; §1º implicava a anistia da tortura e dos assassínios perpetrados por servidores públicos”.

Essa foi a intenção dos legisladores, cientes do anseio da sociedade, e foi esse o espírito da lei, que não admite reinterpretação fora do contexto histórico.

Em 2010, a AGU, PGR e STF se pronunciaram pela abrangência irrestrita da Lei.

A anistia foi reafirmada e ampliada pela EC Nr 26/1985 que convocou a Assembleia Nacional Constituinte. Portanto, acolhida na CF em vigor.

A EC Nr 26/85 diz: Art. 4º; § 1º É concedida, igualmente, anistia aos autores de crimes políticos ou conexos, e aos dirigentes e representantes de organizações sindicais e estudantis, bem como aos servidores civis ou empregados que hajam sido demitidos ou dispensados por motivação exclusivamente política, com base em outros diplomas legais.

O caso Rio Centro foi em 1981, portanto também foi anistiado em 1985 e acolhido pela nova CF.

ALÉM DISSO, O CRIME DE TORTURA SÓ FOI TIPIFICADO NO BRASIL EM 1997

Não era crime tipificado em 1979 e ninguém pode responder por crime sem lei que o tipifique (Princípio do Direito Nacional e Internacional). Portanto, ela não pode ser enquadrada como crime se foi cometida durante a luta armada, nos anos 1970. Só poderia ser enquadrada como lesão corporal, dano moralou abuso de autoridade.

 

Gen Bda R1 Rocha Paiva

 

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar