. VALE A PENA LER ESSA HISTÓRIA DE DOIS BRASILEIROS DE QUEM, ESTES SIM, O BRASIL PODE SE ORGULHAR
Meus cumprimentos ao Cel Diógenes e ao seu heróico pai.
Gen Rocha Paiva
 Ariel P. Fonseca , 9/11/2016, 
MEU HERÓI!
O DIA DA VITÓRIA é comemorado  anualmente em 8 de maio em todo o mundo ocidental, já que em 1945, neste dia, formalizou-se a derrota da ALEMANHA NAZISTA para os Aliados na Segunda Grande Guerra.
Poucos sabem, porque o próprio Governo não valoriza, que a Força Expedicionária Brasileira (FEB) participou da Campanha da ITÁLIA, enfrentando o rigor do inverno, com 25.394 combatentes. Conquistou 29 vitórias, sendo  as de MONTE CASTELO E MONTESE as mais sacrificantes.Morreram 465 heróis, 2722 ficaram feridos, 35 caíram prisioneiros dos alemães e 16 foram considerados extraviados.
A FEB aprisionou a 148ª Divisão de Infantaria Alemã, rendendo-se 14779 homens, dos quais 800 entre feridos e doentes.


Se hoje as Forças Armadas enfrentam terríveis problemas de operacionalidade, imaginem a situação na década de 1940. Os ESTADOS UNIDOS forneceram grande apoio de material.
Nossos pracinhas escreveram extraordinária página de nossa História e regaram com seu sangue o solo italiano em defesa da democracia.São mais reconhecidos e homenageados lá do que aqui.
Em 1941, servia no 17º Batalhão de Caçadores em CORUMBÁ/MS, um negro muito forte, com 100Kg e 34 cm de pulso, rústico, com instrução rudimentar e órfão, de pai e mãe, que acabou desertando por não se adaptar à vida na caserna. Capturado, cumpriu quase 1 ano de prisão pelo crime militar.
Pouco depois, o BRASIL  declara guerra à ALEMANHA  e o voluntariado dá margem ao recrutamento, inclusive, de elementos  comprometidos com a lei.
Assim, o cafuzo se alista na 1ª Companhia do 9º Batalhão de Engenharia de Combate, em AQUIDAUANA/MS, que viria a ser a primeira tropa empregada contra o inimigo em CAMAIORE, para levantar campos de minas e remover obstáculos. Foi dos primeiros a entrar e dos últimos a deixar o campo de batalha.
O livro “QUEBRA CANELA”, de autoria do General febiano RAUL DA CRUZ LIMA JÚNIOR, retrata com fidedignidade o hercúleo, destemido e indômito trabalho do Soldado de Engenharia na guerra.
Ao retornar ao BRASIL, a FEB é aclamada pela população no RIO DE JANEIRO e nos diferentes rincões, principalmente naqueles que enviaram seus residentes para o cumprimento do dever. Assim também aconteceu com o negão que recebeu a Medalha de Campanha, foi desmobilizado e retornou à vida civil.Casou e teve dois filhos procurando dar-lhes o que a vida não lhe propiciou.Priorizou a educação dos mesmos, incutiu-lhes os mais nobres valores de honestidade, respeito ao próximo, lealdade e obstinação para vencer adversidades acrescidas pela coloração da pele.
DIÓGENES DANTAS é meu pai, meu herói e esforço-me para seguir seus  ensinamentos sabendo que jamais conseguirei alcançá-lo.
Hoje é o seu aniversário e sabendo-o no céu, junto a DEUS, demonstro minha gratidão com esta singela homenagem de um soldado a um ex-combatente e, para mim, um Grande Soldado.
DIÓGENES DANTAS FILHO- Coronel Forças Especiais/Consultor de Segurança.
 
 
 
 


Adicionar comentário