Por Leonel Rocha - Da equipe do Correio

Em nota, organização não-governamental formada por militares aposentados aponta omissão do Exército ao não defender coronel da reserva acusado por tortura. Tarso Genro comemora punição (...)
 (...) A decisão final sobre o caso Ustra só sairá depois que todos os recursos forem julgados por instâncias superiores, inclusive o Supremo Tribunal Federal (STF). (...)

Texto completo

(...) Apoio
O ministro da Justiça, Tarso Genro, defendeu ontem a decisão do Judiciário que condenou Ustra. “O Estado brasileiro não incentiva a tortura no regime militar. O importante é que a memória e a verdade foram estabelecidas. Trata-se de uma sentença histórica”, disse o ministro durante a inauguração de um painel em homenagem a 23 estudantes mortos em 1968, após Congresso da UNE realizado em Ibiúna, interior do estado.
 
 Observação do site:

 1- A informação dada na matéria  do Correio Braziliense, a respeito da morte de  23 estudantes  em 1968, após  Congresso da UNE   é mentirosa.

 A memória e a verdade, na realidade, estão sendo falseadas. A história está sendo reeescrita. Ou o jornalista não se informou direito ou a informação foi passada para ele , de forma tendenciosa. A notícia leva  o leitor da matéria a pensar que 23 estudantes que participavam do Congresso da UNE,   foram mortos  após o congresso em 1968, o que é uma mentira.

Durante todo o ano de 1968, O livro lançado pela Secretaria de Direitos Humanos, Direito à Memória e a Verdade, relaciona 12 mortos abaixo relacionados:

 1- Paulo ou Clóvis  Dias Amorim -  Confronto com a polícia em arruaças  - 23/10/68 - operário - RJ

 2- David de Souza Meira - confronto com a polícia em arruaças - 1/04/68- RJ - trabalhava na Companhia de Navegação Costeira

 3- Edson Luiz de Lima Souto - Confronto com a polícia em passeata e arruaças no restaurante Calabouço- 28/03/68 - RJ - estudante

 4- Fernando da Silva Lembo - confronto com  a polícia em  arruaças - 1/07/68 - RJ - Comerciário

 5- José Aprígio de Paula -  Confronto com a polícia em arruaças -  2/04/68 - RJ - Operário

  6-José Carlos Guimarães -  Confronto com estudantes  da  USP e do Mackenzie , na Rua Maria Antônia  -  3/10/68 - SP - estudante

  7-Luiz Paulo Cruz Nunes -  Confronto com  a polícia em arruaças - 22/10/68 - estudante de medicina - RJ

  8- Manoel Rodrigues Ferreira - Confronto copm a polícia em  arruaças - 5/08/68 - RJ - estudante e comerciário

  9- Ornalino Candido da Silva - Confronto com a polícia em arruaças - 1/04/68 - Goiania- operário

 10-Luiz Carlos Augusto - Confronto com  a polícia  em arruaças -  23/10/68 - RJ - operário

 11-Catarina Helena Abi-Eçab - Acidente de carro - 8/11/68 - Vassouras - RJ -

 12- João Antônio Santos Abi-Eçab acidente de carro - 8/11/68 - Vassouras - RJ -

       Maria Ângela Ribeiro - Confronto com a polícia  em arruaças ( não consta do livro)

 Lamentamos que os nomes dos  23 "estudantes" não tenham sido relacionados para que pudéssemos fazer um resumo das atividades dos mesmos e o momento em que deixaram de ser estudantes e passaram a ser militantes da luta armada, o que o livro Direito à Memória e à Verdade, livro oficial da Secretaria de Direitos Humanos, faz questão de omitir.

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar