Karl Marx, o parasita.
Enviado por e-mail por Batalha
Reforçando essas degradantes verdades sobre o parasita Karl Marx,anexo resumo que fiz  de sua biografia. Harry Conrado Schüler
A Realidade!!!
Karl Marx foi sustentado pela esposa por 16 anos enquanto escrevia "O Capital" até que ela ficasse pobre. Só teve um único emprego fixo em 64 anos de vida, e foi como como correspondente do jornal “New York Herald” por breve período e que não resultava em quantias suficientes para manter a família.
Embora estudioso de economia, era cronicamente irresponsável nas finanças pessoais e sempre passou necessidades. Em 1852, quando morava em Londres sem ter mais para onde correr, Marx tentou penhorar alguns talheres de prata com o brasão da família da esposa quando o dono da loja, desconfiado daquela criatura de cabelos desgrenhados e mal vestida, chamou a polícia.

Viu 4 de seus 7 filhos morrerem ainda bebês pela vida insalubre e miserável que sua vagabundice impôs à família, viu duas de suas três filhas sobreviventes se suicidarem, traiu a mulher que o sustentou por anos a fio com a melhor amiga dela, e ainda deu o bebê nascido desta relação para o amigo rico Engels criar. Morreu pobre, intelectualmente debilitado e com um abscesso no pulmão. Somente 11 pessoas incluindo Engels foram ao seu enterro.

Esse é o ídolo da esquerda. O "pai do socialismo". Sujeito ordinário, preguiçoso e imoral, que não conseguiu sequer colocar a própria vida em ordem. É este pilantra, em muitos aspectos similar ao Lulla, o criador do sistema que tem a pretensão de trazer a solução para o mundo? Pois é. Cada um tem a referência que merece.

E o Paul Johnson cita no livro “The Intelectuals” que esse energúmeno, além de tudo, não tomava banho e não fazia a barba por muito tempo. Seus seguidores também deixam a barba crescer sem saber por que.

Mas, suas ideias errôneas, ainda estão por aí, a estrepar com o mundo, a azarar com a sociedade. Pior de tudo é que estamos sendo vítimas desses sórdidos caolhos, gigolôs da miséria, parasitas e aproveitadores, os Schmarotzers, na línguagem de seus conterrâneos alemães. Até quando, como diria Catilina, o senador romano?

 

 

Comentários  

0 #1 Os justos e honestos 23-04-2016 11:06
Infelizmente, no Brasil ainda se seguem exemplos da antiguidade; enquanto na Europa e outros países se valorizam os tempos atuais e contemporâneos!
Assim, o único remédio são cassações e prisões aos intrépidos, principalmente as jararacas que proliferam o país - coitadas das boipevas que levam a culpa! Deus olhai por nós e nos proteja dos nossos inimigos (...)
Por aqui não passarão! Brasil acima de tudo! A razão de nossa força, é a força de nossa razão! Si vis pacem parabellum! Avante meu povo, excomunguem o comunismo como os "papas" já o fizeram (...)

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar