Troca do comandante militar do Sul ocorreu após ele criticar corrupção, excesso de cargos no governo e a diplomacia.
Humberto Trezzi - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo./ Zero Hora - 31/10/15 
É grande a gritaria nas redes sociais contra a remoção do general Antônio Hamilton Martins Mourão da chefia do Comando Militar do Sul (CMS). Correntes se formaram em apoio ao oficial, afastado do cargo após dois episódios: críticas que disparou contra o governo e também por ter permitido homenagem póstuma, em Santa Maria, ao coronel Brilhante Ustra ex-comandante do DOI-Codi, em São Paulo, um dos principais centros de repressão da ditadura.
A homenagem a Ustra aconteceu logo depois da morte dele, no dia 15. Foi feita no pátio da 6ª Brigada de Infantaria Blindada em Santa Maria, cidade natal de Ustra. A presidente Dilma Rousseff foi presa e torturada em um quartel chefiado por Ustra durante o regime militar, o Destacamento de Operações de Informações (DOI) do 2º Exército em São Paulo.(...)
Observação do site www.averdadesufocada.com :

O senhor Humberto Trezzi do jornal Zero Hora deveria se informar melhor a respeito dos assuntos que pretende noticiar.

 

O coronel Ustra constantemente é acusado de ter torturado um grande número dos indenizados que recebem quantias milionárias. Juntam-se cinco ou seis participantes das organizações terroristas que atuavam àquela época e perante a Comissão de Anistia declaram que viram o “bode expiatório” torturar A, B ou C, o que para os membros dessa comissão, ideologicamente ligados a eles, é suficiente para anistia-los, além de pagarem vultosas quantias e acusarem quase sempre o cel Ustra como autor das torturas.

Vejamos o exemplo citado na matéria : A presidente Dilma foi presa e torturada em um quartel chefiado por Ustra durante o regime militar .

Fácil de verificar que a informação é falsa:

1 - Dilma foi presa dia 16 de janeiro de 1970, órgão que ainda se chamava Operação Bandeirantes. Dilma diz que passou 22 dias neste local e que depois foi para o presídio Tiradentes

2 – O DOI-CODI foi criado por uma diretriz presidencial em 15 de setembro de 1970 e o cel Ustra assumiu o comando do DOI em 29/09/1970.

Se o inquérito dela fosse liberado, ao contrário de ficar trancado a sete chaves no STM, toda sua vida clandestina seria mais conhecida.

Comments powered by CComment