Formas de Luta para a Tomada do Poder – A Luta Armada
A luta armada, como princípio do marxismo-leninismo, é inerente aos partidos comunistas de todo o mundo, e apenas uma questão de oportunidade
Por Carlos I.S. Azambuja
“Onde existir um governo que tenha subido ao poder por alguma forma de consulta popular, fraudulenta ou não, e mantenha pelo menos uma aparência de legalidade constitucional, é impossível a implantação da luta armada, por não estarem esgotadas as possibilidades de luta cívica”(Che Guevara)
Sabe-se que o marxismo-leninismo não vincula o movimento revolucionário a nenhuma forma particular de luta e que desenvolve diferentes formas e métodos de atuação. Cada vez mais leva em conta que a escolha dos meios para libertar um país e a sociedade não mais dependem exclusivamente do proletariado e de seus aliados, o que lhes impõe a necessidade de dominar todas as formas de luta.

A teoria revolucionária engendrada pelo marxismo-leninismo não exclui nenhuma forma de luta, quer pacífica, quer não-pacífica, uma vez que cada tipo de luta depende apenas do nível de consciência e de organização das massas e da correlação das forças sociais e políticas.

A única questão é determinar quando e em que situação é necessário recorrer a uma ou outra forma de luta.

Aventureirismo perigoso e inconseqüente é como os comunistas definem o recurso à luta armada antes que as condições objetivas e subjetivas estejam amadurecidas, tornando sua utilização inoportuna e inconseqüente.

A luta armada, como princípio do marxismo-leninismo, é inerente aos partidos comunistas de todo o mundo, e apenas uma questão de oportunidade. Segundo Lênin, “a classe revolucionária, para realizar sua tarefa, deve saber dominar todas as formas ou aspectos de luta, sem a mínima exceção, e deve estar preparada para a mais rápida e inesperada substituição de uma forma de luta por outra”.

Aqueles que conduzem a luta contra os partidos comunistas devem ter presente que a ciência do marxismo ortodoxo descarta como ambíguos os raciocínios que admitem a possibilidade dos comunistas assumirem o Poder, numa sociedade burguesa, pela via evolutiva, assegurando sua hegemonia na economia, na cultura, nas Forças Armadas, na Educação e na própria Igreja, dispensando uma transformação revolucionária da sociedade, a destruição das estruturas do Estado-burguês e a implantação da ditadura do proletariado.

A resistência da burguesia em ver-se despojada do poder político e econômico, e de seus bens, é que impõe a necessidade da luta armada, como ficou claro em diversas conferência internacionais comunistas sobre a tática.

O surgimento de condições em que o proletariado através de sua vanguarda, o Partido Comunista, seja capaz de impor à burguesia a transformação do poder político e econômico sem resistência e sem recurso à violência contra-revolucionária, é acreditado apenas pelos inocentes-úteis, os companheiros de viagem, os oportunistas, os acomodados, os omissos e os desinformados.

 

Comentários  
#2 Valdeke Silva 24-06-2015 22:01
Isto já está ocorrendo no Brasil. Primeiro a luta dos comunistas era chegar ao poder através da luta armada, não deu certo, foram esmagados pelas Forças Armadas. Com a chegada da democracia, veio o voto direto.Aí a luta passou a ser a lavagem cerebral das pessoas contra o capitalismo, a livre iniciativa e a liberdade de expressão, através da censura á mídia. Também não está dando certo.Qual será a próxima forma de luta?
#1 marcelo 04-05-2015 11:33
Também acredito que em determinado momento eles vão partir para ignorância. Mais cedo ou mais tarde. Pelo menos, a máscara da petralhada vai cair.
Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar