Governo deve acolher sugestões da Comissão da Verdade, diz ministro

Obs do site www.averdadesufocada
Que quiz dizer o ministro com  pronunci-
amentos dúbios?
Deu uma no cravo e outra na ferradura?

Para Wagner, é preciso não buscar "retaliação ou revanchismo" 
 
João Carlos  Magalhães Folha de São Paulo

O ministro da Defesa, Jacques Wagner, afirmou nesta sexta (30) que o governo deve acolher e buscar cumprir as recomendações feitas pela Comissão Nacional da Verdade.Em relatório publicado em dezembro, o colegiado que por dois anos investigou as mortes, torturas e desaparecimentos da ditadura militar (10964-1985) faz 29 recomendações.
Dentre elas, que as Forças Armadas reconheçam sua responsabilidade nas violações aos direitos humanos no período, que seus responsáveis sejam punidos e que as academias militares reformulem seus currículos para valorizar os direitos humanos.

"Temos que acolher as recomendações e, a cada caso, buscar cumpri-las. Agora, eu acho que tudo isso deve ser feito com a tranquilidade daqueles que estão com o olhar para o futuro. Buscar a verdade para mim é base para qualquer nação, mas não buscar a verdade para qualquer tipo de retaliação ou de revanchismo. Então cada caso será analisado [com] o intuito de cumprir", disse Wagner, após a cerimônia em que o tenente-Brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato assumiu o comando da Aeronáutica no lugar de Juniti Saito.

Ele não especificou, no entanto, a quais das recomendações ele estava se referindo.

Para Wagner -que como militante de esquerda foi perseguido pelo regime militar e chegou, como a Folha de S.Paulo revelou, a ter um estágio na Petrobras vedado por sua atividade política- é importante contudo personalizar as responsabilidades e evitar culpar as instituições.

"O que às vezes é ruim são as generalizações. Primeiro, a generalização em relação às instituições das Forças Armadas. As Forças Armadas têm serviços prestados ao Brasil de altíssima relevância, inclusive no sentido de garantir a soberania nacional. Agora, eventualmente, aquilo que aconteceu tem nome, tem responsável. Peca-se ao falar o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. Evidentemente [tem que ser individualizado]. Por que senão você na verdade generaliza e fere aqueles que vestem as roupas das Forças Armadas com o orgulho de sê-lo. Eu mesmo, que fui aluno do Colégio Militar do Rio de Janeiro".

Questionado pela reportagem se deve ocorrer uma mudança na cultura ideológica das Forças Armadas, Wagner afirmou que "as Forças Armadas têm uma ideologia que é a Constituição brasileira".

 http://www.otempo.com.br/capa/brasil/for%C3%A7as-armadas-devem-seguir-orienta%C3%A7%C3%B5es-de-comiss%C3%A3o-diz-ministro-1.986411

Comments powered by CComment