...No primeiro momento, tem-se a impressão de equilíbrio também na etapa final. Tanto Marina quanto Aécio alcançam 41% das intenções de voto, ante 48% da atual presidente. Porém o espaço para crescimento de ambos é um pouco diferente. Se a ex-ministra possui uma vantagem numérica de três pontos percentuais nas intenções de voto no primeiro turno, a tendência se inverte pró-tucano quando o assunto é o potencial total das candidaturas no segundo.
 
Considerando-se a taxa de rejeitadores que conhecem de fato cada um dos candidatos --os "causa perdida"--, sobraria para Aécio Neves um potencial total de crescimento máximo de 27 pontos, ante 24 de Marina. Para Dilma, neste momento, o espaço é de 11 pontos. Também é interessante perceber os contrastes de perfil dos eleitores da oposição para a etapa final.
 
No segundo turno, Marina atrai um pouco mais os jovens, os que vivem nas capitais e os evangélicos, enquanto Aécio se destaca especialmente entre os moradores do Sul, entre os do Centro-Oeste, entre os católicos e entre os mais velhos. A ambientalista consegue no segundo turno 55% dos que pretendem votar no tucano na primeira etapa. Já o ex-governador de Minas chega a captar 60% dos que optam pela ex-ministra agora no dia 5. Aécio atrai 60% dos simpatizantes do PMDB em um confronto direto contra Dilma, enquanto Marina leva 49% desse segmento. Números que podem levar petistas a questionar se de fato foi uma boa estratégia a desconstrução feroz de Marina Silva. 
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar