Caros amigos
Gen Bda Paulo Chagas * 
Há dias, comentava comigo mesmo sobre as idas e vindas da opinião pública, retratadas nos resultados das sempre suspeitas pesquisas eleitorais.
A propaganda espetaculosa e quase sempre mentirosa - ou, no mínimo, distanciada da realidade - e a descoberta e a divulgação de recorrentes escândalos de corrupção - marca registrada do Partido dos Trabalhadores e de sua esdrúxula e famigerada "base de apoio"- fazem o papel da manivela e da corda que elevam e abaixam o balde no poço dos índices da Governanta, candidata à reeleição!

Quando se pensa que o cheiro fétido do “panelão”, tantas vezes entornado, vai fazer com que o povo brasileiro feche o nariz e abra os olhos para enxergar a podridão da obra de seus "eleitos" - apercebendo-se do quanto tem sido enganado, usado e desrespeitado por eles - tem-se o desgosto de constatar que o povo parece acostumado com a sujeira e não mais se escandaliza com ela.
 
É como se essa fosse a única forma conhecida de gerir os bens e os recursos públicos. Chega-se a “desanimar da virtude”!
 
Ainda na conversa com os meus botões, cheguei a pensar em dizer-lhes: “Seja o que Deus quiser”! No entanto, lembrei-me da lição de Santo Inácio de Loyola, Padroeiro da Infantaria, que nos ensina a “rezar como se tudo dependesse de Deus, mas a trabalhar como se tudo dependesse de nós”, e dei-me conta de que, ao deixar o futuro nas mãos Dele, estaria deixando de fazer a minha parte.
 
Todos sabem que Deus é brasileiro e há de nos querer o bem, todavia, não podemos nos esquecer de que nossa vida não é controlada por Ele. Nós, assim como Ele, temos o livre-arbítrio.
 
“Se tu não falares para dissuadir o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniquidade, mas o seu sangue eu o requererei da tua mão”.
 
Deus pode tudo, mas tolera aqueles que fazem mau uso do livre-arbítrio em prejuízo dos outros, mas não vai tolerar isso para sempre e não perdoará os que não souberam escolher o bem, nem tampouco perdoará os que sabendo, nada fizeram para dissuadi-los!
 
Assim, amigos, não podemos deixar de fazer o que nos toca, seja lá o que for que cada um possa fazer, confiando em Deus, mas nunca deixando nas mãos Dele a responsabilidade que nos cabe:
Perseverar, como Barroso em Riachuelo, pois, “o Brasil espera que cada um cumpra o seu dever” e que “sustentemos o fogo” até que a vitória seja nossa!
 
*Gen Bda Paulo Chagas, cidadão brasileiro, crente na Divindade, no bem e na perseverança!

= Nenhuma ditadura serve para o Brasil - Grupo Ternuma =

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar