Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 3248

 Em 1º de maio os revisionistas e relativistas fizeram um ato público em que renomearam o antigo DEOPS/SP (que já havia sido nomeado como Memorial da Liberdade) como Memorial da Resistência e inauguraram a exposição chamada “Direito à Memória e à Verdade - a Ditadura no Brasil 1964-1985”.

 

Texto completo  

Obviamente que em todo o material de propaganda e proselitismo exposto e distribuído há meias memórias e meias verdades, pois não é feita nenhuma menção a atos terroristas como assassinatos, atentados a bomba, seqüestros e assaltos praticados pelos “perseguidos” da “ditadura”.

Percebe-se, portanto, que novamente eles utilizaram recursos públicos em proveito próprio - recursos gerados pelo suor de brasileiros honestos - e “doados” aos “perseguidos” pelos cumpanheros José Serra e lulla.

A sociedade deveria perguntar-se com que direito e com consentimento de quem?

Por outro lado, estiveram presentes também para a realização de uma contramanifestação, representantes da Tribuna Nacional, do Grupo Guararapes, da UND – União Nacionalista Democrática, do Movimento Brasil Soberano e principalmente vários militantes da F.I.B. – Frente Integralista Brasileira, que chegaram ao local em formação, uniformizados e carregando seu estandarte.

Foi realizada panfletagem pela F.I.B., da qual destacamos o seguinte teor:

“No fim, nós pagamos a conta, mais uma vez...

O Povo Brasileiro já pagou mais de R$ 2.300.000,00 em indenizações a LADRÕES, ASSASSINOS E TERRORISTAS, como Carlos Lamarca (a família receberá R$ 450.000,00), José Dirceu e Dilma Rousseff.

Impostos pagos pelo Povo Brasileiro vêm pagando essas indenizações milionárias a indivíduos que são, na maioria, ex-terroristas que, roubando e matando pessoas inocentes, lutaram não para que o Brasil se tornasse uma Democracia, mas sim uma ditadura nos moldes da Cuba de Fidel, da China de Mao Tse Tung ou da União Soviética de Stálin.

... F.I.B.”

A chegada de todos causou grande impacto havendo diversas reações no sentido de impedir a contramanifestação, mas que fracassaram diante da decidida e resoluta demonstração de unidade, organização e firmeza do propósito de realizar uma manifestação pacífica e ordeira.

Obviamente a imprensa dominada, manipulada e manietada pelo ParTido, nada publicou...

Resta claro que este é o caminho, não podemos desistir da Internet, mas precisamos ganhar as ruas, cada grupo ou movimento defendendo as suas idéias, sem perder a sua identidade e independência, mas atuando de forma conjunta, harmoniosa e organizada, em defesa da liberdade e do estado democrático de direito, mais uma vez ameaçados pela esquerda.

Ingo Schmidt

Tribuna Nacional

visite nosso site em: http://www.tribunanacional.com.br/v2